Cipó de São João – O que é, Benefícios e Como Usar

Revisado por

Dermatologia Graduada pela Unicamp

Especialista do Cura Natural

Cipó de São João – O que é, Benefícios e Como Usar
4.8 (95.74%) 47 vote[s]

Cipó de São João – O que é, Benefícios e Como Usar que você precisa saber. Além disso, a medicina natural vem estudando as propriedades terapêuticas do cipó de São João. Nesse artigo, vamos abordar tudo sobre benefícios, contraindicações e modo de usar.

Cipó de São JoãoEssa planta é muito conhecida em todo Brasil devido sua grande presença na ornamentação das festas de São João. A trepadeira também é conhecida popularmente como: Flor de São de João, Erva de São João, Cipó vermelho, Cipó bela flor, Cipó de lagartixa e Cipó de lagarto.

O cipó de São João pode chegar até 4 metros de altura, geralmente ela é encontrada em diversos estados brasileiros próximas a cerca, barrancos e beiras de estrada, além disso, ela se adapta ao clima equatorial, tropical e subtropical.

O que é Cipoó de São João?

O cipó de São João é uma planta trepadeira bastante conhecida na ornamentação junina nas festas populares brasileiras. Geralmente é encontrada em todo o país, por contar com uma bela aparência, com pequenas flores alongadas e alaranjadas que sobem pelos muros e cercas onde é cultivada.

Originária da América do Sul, a planta tem maior abundância nos estados do Ceará e do Rio Grande do Sul, o que comprova que seu cultivo é realmente adaptável a qualquer clima. Agora, veja Os Benefícios do Cipó de São João Para Saúde:

Trata Problemas de Ansiedade e Depressão:

Muitos medicamentos fitoterápicos são feitos à base do cipó de São João, geralmente ele aparece na bula como Erva de São João. Algumas pesquisas demonstram que a planta é capaz de promover a melhora em pacientes com quadros de ansiedade e depressão leve e moderada em adultos e crianças.

As propriedades calmantes dessa planta melhoram o humor e também tratam problemas de insônia.

Auxilia no Tratamento de Vitiligo:

Desde a antiguidade o cipó de São João era utilizado para tratar problemas de pele, queimaduras e hemorroidas. Estudos recentes mostram que a planta pode ser muito eficaz para tratar o vitiligo, uma doença caracterizada por manchas no corpo.

O cipó de São João demonstra melhoras na aparência das manchas no decorrer da utilização. A planta é apontada como um dos métodos naturais para tratar da doença com boas taxas de controle e satisfação.

Melhora o Cansaço e a Fraqueza:

O cipó de São João trabalha ativamente nas células do sistema nervoso e melhora muito a saúde emocional de quem as consome. Por isso, ela é tão benéfica contra a ansiedade, depressão, estresse, insônia e TOC.

A fadiga crônica inclui muito cansaço e fraqueza dando a sensação que o corpo não relaxa nunca, o portador desse problema tem noites mal dormidas e está sempre com a sensação de exaustão.

O cipó de São João ajuda as pessoas com esses sintomas a dormir melhor e relaxar o corpo.

Auxilia na Perda de Peso:

Pessoas que possuem dificuldades de emagrecer devido a problemas de ansiedade podem contar com um aliado potente. O cipó de São João controla de forma natural os sintomas da ansiedade e ajuda a diminuir o apetite.

Melhora a Digestão:

Os poderes calmantes no cipó de São João também ajudam no processo digestivo, isso porque os músculos presentes no estômago relaxam e facilitam o trabalho do órgão.

Outros Benefícios do Cipó de São João Para Saúde:

Como usar o Cipó de São João:

A planta possui diversas formas de utilização. Confira:

Chá:  Ferva um litro da água e adicione 3 colheres de sopa do cipó de São João, deixe levantar bem a fervura. Deixe abafado por 8 minutos, coe e beba 2 xícaras ao dia por 4 semanas.

Gotas da Erva de São João: Pegue 200 gramas das flores da planta e adicione com 1 litro de álcool de cereais. Feche bem o recipiente e enrole em um saco de lixo preto, deixe essa mistura em um lugar bem escuro por 28 dias.

A posologia é ingerir 60 gotas duas vezes ao dia juntamente com um copo de água, até finalizar o conteúdo do recipiente.

É possível encontrar cremes e géis no mercado para passar em ferimentos outros problemas de pele. Além disso, também são comercializadas cápsulas ou comprimidos para tratar algumas doenças como a depressão.

É importante lembrar que para fazer um tratamento seguro com o cipó de São João é indicado procurar um médico homeopata para orientar nas dosagens corretas e no tempo de uso. As pesquisas mostram que a planta pode ser uma maneira muito segura de tratar alguns problemas de saúde quando usada corretamente.

Efeitos Colaterais do Cipó de São João:

Cipó de São João

A planta possui inúmeras reações adversas, se apresentar alguns desses sintomas, abandone o uso imediatamente. Confira:

  • Pele irritada;
  • Dores de cabeça;
  • Náuseas e tonturas;
  • Dores de estômago;
  • Olhos irritado;
  • Boca seca;
  • Formigamentos;
  • Irritação na pele mediante exposição ao sol.

Contraindicações:

O uso da planta não pode ser feito por todas as pessoas. Mesmo que seja natural, o cipó de São João possui comprovação científica de danos a saúde em alguns casos. Veja a seguir quem não pode usar:

  • Mulheres grávidas (tem efeito abortivo ou má formação do feto);
  • Lactantes;
  • Mulheres que tratam a infertilidade;
  • Portadores de esquizofrenia;
  • Alérgicos aos componentes do Cipó de São João;
  • Pacientes com Alzheimer;
  • Portadores de câncer;
  • Portadores do vírus do HIV.

A Erva de São João é freqüentemente citada nas bulas de diversos remédios como um agente que promove a interação medicamentosa. Inclusive em praticamente todas as pílulas anticoncepcionais.

Portanto, se você estiver fazendo algum tratamento contínuo ou usa métodos contraceptivos hormonais, leia a bula e fale com seu médico.

Não consuma o cipó de São João sem conhecer os riscos.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Wanessa Mattos

Drª. Wanessa Matos
Dermatologista formou-se em Medicina na Unicamp e na mesma instituição realizou sua residência em Dermatologia, obtendo o título de especialista. Atua nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica e estética. Além disso, é sócio titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, com registro no Conselho Regional de Medicina e Associação Médica Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *