Início » Benefícios do Chás » Chá de rosa vermelha – benefícios, como usar e efeitos colaterais!

Chá de rosa vermelha – benefícios, como usar e efeitos colaterais!

cha de rosa vermelha

O chá de rosa vermelha possui muitos benefícios para saúde do corpo. Alias, a rosa vermelha é nativa da Europa central e da Ásia, e é uma flor que é bastante relacionada as emoções e comemorações. Isso porque, ela é usada como presente entre os casais apaixonados, para presentear as mães e também nos aniversários.

cha de rosa vermelha
chá de rosa vermelha

Benefícios do chá de rosa vermelha:

As pétalas do chá de rosa vermelha são ricas em vitamina C, por essa razão ajudam a tonificar o sistema imunológico do organismo favorecendo uma melhor proteção à saúde.

Além disso, essa mesma substância age como antioxidante, impedindo a proliferação de toxinas e radicais livres no corpo. Consequentemente, previnem o envelhecimento precoce e ainda mantém a pele e o cabelo saudáveis.

Confira outros benefícios:

No entanto, o chá também possui propriedades adstringentes, antissépticas, antialérgicas e antidepressivas. Além disso, melhora a circulação, tonifica o coração e age como um poderoso calmante. Já para a pele é ótima quando o assunto é o combate de espinhas e cravos.

Como fazer o chá de rosa vermelha?

Para preparar o chá é importante, primeiramente, que elas estejam muito bem lavadas. Importante nos assegurar que não tenham recebido nenhum tóxico ou pesticida. Recomendável também que sejam frescas.

Ingredientes:

– 5 ou 6 pétalas de rosas limpas para uma única xícara;
– Água;
– Mel ou açúcar se desejarmos adoçar o chá.

Modo de preparo:

  1. Em primeiro lugar, coloque as pétalas em uma chaleira quando a água estiver fervendo.
  2. Depois, deixe que a mistura repouse durante 5 ou 10 minutos,
  3. Em seguida, coe e sirva acompanhada de mel ou açúcar de acordo com o seu desejo.

Efeitos colaterais e cuidados:

Mesmo se tratando de um ingrediente natural, a dica é que um médico seja consultado. Só ele tem conhecimento suficiente par certificar o uso, principalmente levando em consideração o tipo da doença que está se querendo combater e também as propriedades físicas do paciente, o que inclui a presença de algum tipo de alergia.

Formado em Comunicação Social, especialista em jornalismo digital e SEO, responsável por criar diversos projetos na internet, afim de levar conhecimento à todos sobre saúde, beleza, bem estar, natureza e entretenimento.

Deixe um comentário