Chá de Macela – O que é, Benefícios e Como Usar

Revisado por

Dermatologia Graduada pela Unicamp

Especialista do Cura Natural

Chá de Macela – O que é, Benefícios e Como Usar
4.9 (98.33%) 12 vote[s]

Chá de Macela – O que é, Benefícios e Como Usar que todos devemos saber. Além disso, Macela é uma erva aromática que cresce até 1 m de altura. Produz pequenas flores brancas com centros amarelos e folhas serrilhadas verdes. Ela é originária da América do Sul, incluindo Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

Chá de MacelaO que é Chá de Macela?

O chá de macela é um chá rico em propriedades e benefícios para quem o ingere. Aliando sua ingestão a um tratamento específico para cada enfermidade, maiores são as chances de aumentar a sua qualidade de vida. Além disso, o chá de macela é feito a partir da infusão com toda a planta é usado como um remédio natural para cólica, nervoso, epilepsia, náuseas e problemas gástricos.

Também é empregada como um anti-inflamatório, antiespasmódico menstrual, sedativo, e analgésico para distúrbios gástricos, problemas de fígado, diarreia, e disenteria. Esta mesma infusão é utilizada para reumatismo, nevralgias, dores musculares, e até mesmo menstrual.

Propriedades Químicas da Macela:

A análise fitoquímica do chá de macela, que começou em meados dos anos 1980, mostra que ela é uma erva rica em flavonoides. Muitas das suas propriedades ativas são atribuídas a estes flavonoides, bem como ao terpenos.

Também foram encontrados no chá de macela: macela Achyrocline polissacarídeos e achyrofuran, auricepyrone, cadinene, ácido caféico, callerianin, calleryanin, caryatin, cariofileno, ácido clorogênico, cineol, flavonas, galangina, germacreno D, gnaphaliin, italidipyrone, lauricepyrone, luteolina, ocimeno , pineno, pirona, quercetagetin, quercetina, scoparol, scoparone e tamarixetin. Agora, veja Os Benefícios do Chá de Macela Para Saúde:

Embora o chá de macela seja um produto medicinal e que, portanto, não substitui consultas ao médico ou a ingestão de remédios alotrópicos, essa bebida pode ajudar no tratamento de algumas enfermidades e sintomas. O chá de macela ajuda em casos de….

  • Azia,
  • cálculo biliar,
  • dor de cabeça,
  • cólicas intestinais,
  • contrações musculares bruscas,
  • contusões,
  • desordens menstruais,
  • diarreias, disenteria,
  • disfunções gástricas e digestivas,
  • dor de estômago,
  • estimulante da circulação,
  • febre,
  • gastrite,
  • impotência,
  • inapetência,
  • inflamação,
  • lavar feridas e úlceras,
  • má digestão,
  • pele e cabelos delicados,
  • nervosismo,
  • resfriado,
  • retenção de líquidos,
  • reumatismo,
  • suores fétidos nos pés,
  • icterícia,
  • colesterol alto,
  • cistite,
  • nefrite,
  • colecistite.

Como Usar e Preparar o Chá de Macela:

Chá de Macela

O chá de macela pode ser bebido ou usado externamente, vai depender do caso e do aconselhamento médico. Para beber, faça uma infusão de duas xícaras pequenas das flores para meio litro de água. Tome até seis xícaras por dia, após as refeições.

Já no caso do uso externo, faça uma infusão de 30 gramas das flores para um litro de água e aplique o líquido em compressas de 3 a 4 vezes ao dia para lavar feridas, úlceras e tirar chulé dos pés. A mesma infusão serve para aromaterapia favorecedora do sono, basta preencher o travesseiro.

Contraindicações do Chá de Macela:

Pessoas que estejam em tratamento de quimioterapia não devem fazer o uso dessa planta jamais, assim como as alérgicas a algum de seus componentes. Por ter efeito hipoglicemiante, diabéticos devem ter cuidado redobrado e sempre serem monitorados caso tomem esse chá.

Pacientes sob efeito de sedativos, analgésicos e barbitúricos também devem ter muita atenção com o uso dessa bebida. Por via das dúvidas, consulte um médico para saber se o chá de macela é mesmo útil para seu caso.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Wanessa Mattos

Drª. Wanessa Matos
Dermatologista formou-se em Medicina na Unicamp e na mesma instituição realizou sua residência em Dermatologia, obtendo o título de especialista. Atua nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica e estética. Além disso, é sócio titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, com registro no Conselho Regional de Medicina e Associação Médica Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *