Chá da Malva Crespa – O Que é, Benefícios e Como Usar

Revisado por

Graduado em Ciências da Nutrição!

Especialista do Cura Natural

Chá da Malva Crespa – O Que é, Benefícios e Como Usar
4.7 (93.33%) 9 votes

Chá da Malva Crespa – O Que é, Benefícios e Como Usar todas as suas propriedades dessa planta. Alem disso, com princípios curativos baseados em muitas propriedades naturais, a malva crespa é uma planta que pertence à família das Malvaceae. Dependendo do local onde ela é encontrada, pode ser conhecida por muitos outros nomes, a exemplo de malva, malvisco e malvaísco.

Na medicina natural, a parte utilizada da malva crespa no processo de cura de alguns problemas de saúde é baseada nas suas folhas secas, flores e raízes.

Mas, antes que ela seja aplicada em qualquer tratamento, o médico deve ser consultado. Só ele tem conhecimento suficiente para que nenhum outro problema apareça.

Benefícios Chá da Malva Crespa:

A planta é constituída de alguns princípios ativos que atuam diretamente no processo de cura de certas doenças. Entre os principais deles estão: ácidos graxos insaturados, ácido malválico e estercúlico.

A partir de então, a malva crespa pode ser usada para curar alguns problemas de saúde. Na lista deles está o combate a úlcera, afecção na boca, laringe, halitose, dor de ouvido e das pálpebras.

Chá da Malva Crespa:

Uma das formas mais comuns de utilizar a planta na medicina natural é através da preparação do chá da erva, ou infusão da mesma, como também é conhecida.

Dessa forma a planta pode ser usada no combate a úlcera, afecção na boca, laringe e halitose (essa última na forma de gargarejo).

Para tanto você vai precisar de 200 ml de água filtrada e 20 gramas da erva seca. O primeiro passo é colocar a água para ferver.

Assim que ela atingir o ponto de ebulição, desligue o fogo e acrescente a malva crespa logo em seguida. Deixe o recipiente fechado e descansando por cerca de 10 minutos.

Passado esse tempo, use uma peneira para retirar o excesso de ervas usadas no preparo e a bebida está pronta para ser ingerida.

O recomendado é que a ingestão diária não ultrapasse as três doses. Porém, é importante levar em consideração a opinião do médico.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Rafael Cardoso

Com mais de 5 anos de experiência, Rafael Almeida é Graduado em Ciências da Nutrição pela Universidade Ceuma desde 2012. Atua em Atendimento Clínico-Nutricional, com foco no bem estar e qualidade de vida do paciente, através da reeducação alimentar e acompanhamento nutricional, com planos alimentares personalizados, de acordo com o objetivo e avaliação clínica individual, comprometido com o sucesso do tratamento de seus pacientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *