Bronquite Aguda – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Bioquímica Farmacêutica pela USP

Especialista do Cura Natural

Bronquite Aguda – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
5 (100%) 1 vote[s]

Bronquite Aguda – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos é uma forma de ficar atento nessa doença. A bronquite aguda é a inflamação dos brônquios, tubos que levam o oxigênio até os pulmões. Existe na forma aguda, quando sintomas como tosse, chiado no peito e dificuldade para respirar permanecem por no máximo algumas semanas, e na forma crônica, quando o problema acompanha o indivíduo pela vida toda.

A versão aguda atinge especialmente crianças e idosos, que estão mais suscetíveis ao ataque de vírus e bactérias em algumas situações, ela é consequência de uma gripe, por exemplo. Pessoas alérgicas também estão no grupo de risco quando entram em contato com substâncias irritantes, como ácaro, pólen, poeira doméstica e fumaça.

No quadro crônico enquadram-se alguns portadores de asma e indivíduos com a doença pulmonar obstrutiva crônica, a DPOC, fortemente associada ao cigarro. Ela seria a união entre a bronquite e o chamado enfisema pulmonar.

Seja agudo, seja crônico, o problema dá as caras quando os brônquios se inflamam, incham e ficam mais contraídos, além de produzir maior quantidade de muco na tentativa de limpar a área. Tudo isso dificulta ou emperra o trânsito de oxigênio até os pulmões.

Os cílios, minúsculos pelos responsáveis por varrer a secreção para fora, também passam a não funcionar direito. E eis que a passagem de ar corre risco de ficar entupida.

Tipos de Bronquite:

Ao contrário de várias doenças, a bronquite aguda apresenta apenas dois tipos diferentes: a aguda e a crônica. Saiba mais sobre cada uma delas abaixo.

Bronquite Aguda:

Esse tipo da doença é, na maioria das vezes, uma infecção viral dos brônquios e pode ser uma consequência de algum resfriado ou gripe que o paciente tenha pego anteriormente, da exposição intensa a fumaça ou de poluição no ar.

Nesse caso, a bronquite aguda ataca e perdura por apenas alguns dias. Caso os sintomas permaneçam por mais tempo, é indicado que se tome muito cuidado, pois podemos estar diante da bronquite crônica, definição da doença que está a seguir.

Bronquite Crônica:

A bronquite crônica normalmente acontece devido ao consumo excessivo do tabaco ou da forte exposição a poluição, duas substâncias que limitam o funcionamento dos brônquios e do trato respiratório, anatomia que vai desde o nariz até os alvéolos pulmonares.

Causas da Bronquite Aguda:

A principal causa desse tipo de bronquite aguda são vírus provindos de uma inflamação ou gripe anterior, podendo ser adenovírus, rinovírus, influenza, etc. Em casos mais raros, a bronquite aguda pode ser causada por bactérias.

Sintomas da Bronquite Aguda:

Os sintomas que precedem o ataque de bronquite aguda são azia e dificuldade para respirar. Além deles, outros sintomas podem aparecer, tais como:

  • Febre baixa (menos de 38ºC);
  • Dor de cabeça;
  • Dor de garganta;
  • Rouquidão;
  • Complicações respiratórias ou bacterianas.

Tratamento da Bronquite Aguda:

Muitos casos de bronquite aguda são tratados sem medicamentos e podem ser acompanhados de casa. O tratamento é sintomático, isto é, ele é apenas para os sintomas, não para a causa. Em caso de bronquite aguda, você deverá:

  • Descansar constantemente;
  • Para a tosse, use antitussígenos (não em demasia, já que a tosse precisa evoluir nesses casos);
  • No caso de tosse com escarro, expectorantes devem ser utilizados;
  • Beber muito líquido;
  • Tratar eventuais febres e dores de cabeça com paracetamol ou ibuprofeno.

Atenção:

NUNCA se automedique ou interrompa o uso de um medicamento sem antes consultar um médico. Somente ele poderá dizer qual medicamento, dosagem e duração do tratamento é o mais indicado para o seu caso em específico.

As informações contidas nesse artigo têm apenas a intenção de informar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um especialista ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Siga sempre as instruções da bula e, se os sintomas persistirem, procure orientação médica ou farmacêutica.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Byanca Stefany

Sou graduada em Ciências Farmaceuticas pela Universidade Federal do Piaui (UFPI), com pós graduação em Fármaco e Medicamentos pela Universidade de São Paulo (USP) mestrado também pela Universidade de São Paulo (USP) na área de Tecnologia Bioquímica Farmacêutica e Doutoranda pela Universidade de São Paulo (USP) na área de Farmácia Fisiopatologista e Toxicologia. Atualmente Trabalho na área de Análise Clinicas, e tambèm atuo no Instituto de Pesquisa de Ciência, tecnologia e Qualidade (ICTQ) e exerço a função de Editor no site "Dicas de Saúde".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *