Hirschsprung – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Hirschsprung – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento
4.5 (90%) 6 vote[s]

Hirschsprung – O que é, Causas, Sintomas e Tratamento que todos devemos saber. Além disso, o Hirschsprung é uma condição que afeta o intestino grosso (cólon) e causa problemas com fezes de passagem. A condição está presente no nascimento (congênita) como resultado de falta de células nervosas nos músculos do cólon do bebê.

Um recém-nascido que tem a doença de Hirschsprung geralmente não pode ter uma evacuação nos dias após o nascimento. Em casos leves, a condição pode não ser detectada até mais tarde na infância. Pouco comum, a doença de Hirschsprung é diagnosticada em adultos.

Causas da Hirschsprung:

Não está claro o que causa a doença de Hirschsprung. Às vezes, ocorre em famílias e pode, em alguns casos, ser associado a uma mutação genética. A doença de Hirschsprung ocorre quando as células nervosas no cólon não se formam completamente. Os nervos no cólon controlam as contrações musculares que movem alimentos através das entranhas. Sem as contrações, as fezes permanecem no intestino grosso.

Sintomas da Hirschsprung:

Sinais e sintomas da doença de Hirschsprung variam com a gravidade da condição. Normalmente, os sinais e sintomas aparecem logo após o nascimento, mas às vezes não são evidentes até mais tarde na vida. Normalmente, o sinal mais óbvio é a falta de evacuação de um recém-nascido dentro de 48 horas após o nascimento.

Outros sinais e sintomas em recém-nascidos podem incluir:

  • Barriga inchada;
  • Vômitos, incluindo o vômito de uma substância verde ou marrom;
  • Constipação ou gás, o que pode fazer um recém-nascido exigente;
  • Diarreia.

Em crianças mais velhas, os sinais e sintomas podem incluir:

Tratamento da Hirschsprung:

Cirurgia:

A cirurgia para contornar a parte do cólon que não tem células nervosas trata a doença de Hirschsprung. O revestimento da parte doente do cólon é removido e o cólon normal é puxado através do cólon por dentro e preso ao ânus. Isso geralmente é feito usando métodos minimamente invasivos (laparoscópicos), operando através do ânus.

Nas crianças que estão muito doentes, a cirurgia pode ser feita em duas etapas.

Primeiro, a porção anormal do cólon é removida e a porção superior e saudável do cólon está conectada a uma abertura que o cirurgião cria no abdômen da criança. As fezes, em seguida, deixa o corpo através da abertura em uma bolsa que se prende ao fim do intestino que se projeta através do buraco no abdômen (estoma). Isso permite que a parte inferior do cólon cure.

Os Procedimentos de Ostomia Incluem:

Ileostomia: O médico remove todo o cólon e conecta o intestino delgado ao estoma. As fezes deixam o corpo através do estoma em uma bolsa.

Colostomia: O médico deixa parte do cólon intacta e conecta-a ​​ao estoma. Fezes deixa o corpo através do final do intestino grosso.

Mais tarde, o médico fecha o estoma e liga a parte saudável do intestino ao reto ou ao ânus.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *