Câncer de Ovário – O que é, Sintomas e Tratamentos

Câncer de Ovário – O que é, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Dermatologia Graduada pela Unicamp

Especialista do Cura Natural

Câncer de Ovário – O que é, Sintomas e Tratamentos. Ficou curioso? Saiba mais lendo este artigo ate o fim. O câncer de ovário é um tipo de câncer que começa nos ovários. O sistema reprodutivo feminino contém dois ovários, um em cada lado do útero. Os ovários – cada um sobre o tamanho de uma amêndoa – produzem ovos (óvulos), bem como os hormônios estrogênio e progesterona.

Câncer de OvárioO câncer de ovário muitas vezes não é detectado até se espalhar dentro da pélvis e do abdômen. Neste estágio tardio, o câncer de ovário é mais difícil de tratar e é freqüentemente fatal. O câncer de ovário em estágio inicial, em que a doença é confinada ao ovário, é mais provável que seja tratado com sucesso.

Principais Sintomas do Câncer de Ovário:

A maioria dos cânceres ovarianos começa no epitélio, ou revestimento externo, do ovário. Nos estágios iniciais, pode haver poucos ou nenhum sintoma. Os sintomas podem assemelhar-se a outras condições, como síndrome pré-menstrual (síndrome pré-menstrual), síndrome do intestino irritável (IBS), ou um problema temporário da bexiga.

A principal diferença entre o câncer de ovário e outros possíveis distúrbios é a persistência e a piora gradual dos sintomas.

Os primeiros sintomas do câncer de ovário podem incluir:

  • Dor na pélvis, no abdômen inferior ou na parte inferior do corpo.
  • Dor nas costas.
  • Indigestão ou azia.
  • Sentindo-se cheio rapidamente ao comer.
  • Coração mais frequente e urgente.
  • Dor durante a relação sexual.
  • Mudanças nos hábitos intestinais, como constipação.

À medida que o câncer progride, também pode haver:

  • Náusea.
  • Perda de peso.
  • Falta de ar.
  • Cansaço.
  • Perda de apetite

Se um indivíduo experimenta inchaço, pressão ou dor no abdômen ou pelve que dura mais de algumas semanas, eles devem consultar um médico imediatamente.

Principais Causas de Câncer de Ovário:

Não está claro o que causa câncer de ovário, embora os médicos tenham identificado fatores que podem aumentar o risco da doença.

Em geral, o câncer começa quando uma célula desenvolve erros (mutações) em seu DNA. As mutações dizem que a célula cresce e se multiplica rapidamente, criando uma massa (tumor) de células anormais. As células anormais continuam vivendo quando as células saudáveis ​​morreriam. Eles podem invadir tecidos próximos e romper com um tumor inicial para espalhar-se em outro lugar do corpo (metástase).

Tipos de Câncer de Ovário:

O tipo de célula onde o câncer começa determina o tipo de câncer de ovário que você possui. Os tipos de câncer de ovário incluem:

Tumores epiteliais: que começam na fina camada de tecido que cobre o exterior dos ovários. Cerca de 90 por cento dos cânceres de ovário são tumores epiteliais.

Tumores estromáticos: que começam no tecido ovariano que contém células produtoras de hormonas. Esses tumores geralmente são diagnosticados em estágio anterior do que outros tumores ovarianos. Cerca de 7% dos tumores ovarianos são estromados.

Tumores de células germinativas: que começam nas células produtoras de ovos. Estes raros cânceres de ovário tendem a ocorrer em mulheres mais jovens.

Fatores de Risco:

Câncer de Ovário

Fatores que podem aumentar seu risco de câncer de ovário incluem:

Idoso: O câncer de ovário pode ocorrer em qualquer idade, mas é mais comum em mulheres de 50 a 60 anos.

Herdado mutações genéticas: Uma pequena porcentagem de câncer de ovário é causada por mutações genéticas que você herda de seus pais. Os genes conhecidos por aumentar o risco de câncer de ovário são chamados de gene de câncer de mama 1 (BRCA1) e de câncer de mama 2 (BRCA2). Estes genes também aumentam o risco de câncer de mama.

Outras mutações genéticas, incluindo as associadas à síndrome de Lynch, são conhecidas por aumentar o risco de câncer de ovário.

História familiar de câncer de ovário: Pessoas com dois ou mais parentes próximos com câncer de ovário têm um risco aumentado de doença.

Terapia de reposição de hormônio estrogênico: especialmente com uso a longo prazo e em doses elevadas.

Idade quando a menstruação começou e terminou: A menstruação de início em idade precoce ou início da menopausa em uma idade posterior, ou ambos, pode aumentar o risco de câncer de ovário.

Prevenção:

Não há nenhuma maneira segura de prevenir o câncer de ovário. Mas pode haver maneiras de reduzir seu risco:

Considere tomar pílulas anticoncepcionais: Pergunte ao seu médico se as pílulas anticoncepcionais podem ser adequadas para você. As mulheres que usam anticoncepcionais orais podem ter um risco reduzido de câncer de ovário. Mas os anticoncepcionais orais têm riscos, portanto, discutindo se os benefícios superam esses riscos com base em sua situação.

Discuta seus fatores de risco com seu médico: Se você tem uma história familiar de câncer de mama e ovário, traga isso com seu médico. Seu médico pode determinar o que isso pode significar para seu próprio risco de câncer. Em alguns casos, seu médico pode encaminhá-lo para um conselheiro genético que pode ajudá-lo a decidir se os testes genéticos podem ser adequados para você.

Se você for encontrado para ter uma mutação genética que aumenta seu risco de câncer de ovário, você pode considerar uma cirurgia para remover seus ovários para prevenir câncer.

Tratamentos Para Câncer de Ovário:

Os tratamentos para câncer de ovário podem consistir em cirurgia, quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal ou terapia direcionada. Muitas vezes, mais de um tratamento é usado.

O tipo de tratamento depende de muitos fatores, incluindo o tipo de câncer de ovário, seu estágio e grau, bem como a saúde geral do paciente.

Cirurgia:

Câncer de Ovário

Na maioria dos casos, a cirurgia é feita para remover o câncer. Muitas vezes, é a primeira opção. A extensão da cirurgia depende do estágio do câncer.

Salpingo-ooforectomia : a cirurgia é realizada para remover os ovários e trompas de Falópio.

Histerectomia: o cirurgião remove o útero e qualquer tecido circundante afetado. Se apenas o útero for removido, esta é uma histerectomia parcial. Em mulheres pré-menopáusicas, a menopausa começará imediatamente após esse procedimento.

Dissipação do Linfonodo: o cirurgião remove linfonodos na pelve e perto da aorta.

Cirurgia Cirúrgica ou de Debulagem: se o câncer se espalhou para além da área pélvica, o cirurgião reduzirá o tecido canceroso possível. Isso pode incluir tecido da vesícula biliar e outros órgãos. Este procedimento pode ajudar a aliviar os sintomas e tornar a quimioterapia mais efetiva.

Quimioterapia:

A quimioterapia é o uso de certos medicamentos para destruir células cancerosas. A medicação citotóxica fornece drogas venenosas para as células. Essas drogas impedem que as células cancerosas se dividam e cresçam.

A quimioterapia é usada para atingir as células cancerosas que a cirurgia não pode ou não remover.

O tratamento geralmente envolve 3 a 6 sessões de quimioterapia, ou ciclos. Estes serão separados 3 a 4 semanas, para permitir que o tempo do corpo se recupere. Se o câncer retornar ou começar a crescer novamente, a quimioterapia pode ser administrada novamente para encolher.

Quimioterapia Direcionada:

Os medicamentos mais recentes podem direcionar diretamente caminhos ou funções específicas em células cancerígenas. Esses medicamentos incluem bevacizumab (Avastin) e olaparib (Lynparza).

Ao contrário da quimioterapia tradicional, essas drogas limitam o dano às células normais. Isso reduz os efeitos colaterais comuns.

Efeitos Colaterais:

A quimioterapia visa células que se dividem rapidamente. Infelizmente, células saudáveis ​​que se dividem rapidamente, como células sanguíneas vermelhas e brancas, e folículos capilares também podem ser afetadas.

A gravidade e o tipo de efeitos colaterais dependem do tipo de medicação, do número de tratamentos e de alguns aspectos do paciente e da saúde geral. Os efeitos secundários podem incluir:

  • náuseas, vômitos
  • diarréia
  • perda de cabelo
  • perda de apetite
  • aftas
  • anemia
  • infecções, porque a contagem de glóbulos brancos é baixa

As células saudáveis ​​danificadas normalmente se reparam rapidamente após o tratamento acabar e os efeitos colaterais logo desaparecem.

Acompanhamento de Quimioterapia:

Câncer de Ovário

Testes de acompanhamento, como exames de sangue e exames de imagem, serão realizados para determinar o quão bem o tratamento está funcionando.

Se o câncer ainda estiver presente após o tratamento de quimioterapia, os médicos mudarão para outros tratamentos.

Terapia Hormonal:

A terapia hormonal (HT) pode ser adicionada ao plano de tratamento para evitar que o estrogênio atinja as células cancerígenas.

Cortar o fornecimento de estrogênio retarda o crescimento das células cancerígenas.

A terapia hormonal pode incluir goserelina (Zolodex), leuprolida (Lupron), Tamoxifeno ou um inibidor de aromtase

Terapia de Radiação:

A radiação é menos utilizada no tratamento do câncer de ovário. Pode ser usado se houver pequenos vestígios de câncer no sistema reprodutivo ou para tratar os sintomas do câncer avançado.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Wanessa Mattos

Drª. Wanessa Matos
Dermatologista formou-se em Medicina na Unicamp e na mesma instituição realizou sua residência em Dermatologia, obtendo o título de especialista. Atua nas áreas de dermatologia clínica, cirúrgica e estética. Além disso, é sócio titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia, com registro no Conselho Regional de Medicina e Associação Médica Brasileira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *