Febre – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Febre Febre – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Especialista do Cura Natural

Moleza, falta de apetite, dor no corpo, frio e aquela vontade enorme de nunca mais sair da cama, quem já teve Febre deve conhecer muito bem todos estes sintomas! Falando em sintomas, a Febre também é, nada mais nada menos, do que um sintoma! Isso mesmo, diferentemente do que alguns poderiam chamar de doença, a Febre é na verdade um sintoma gerado pelo seu organismo para combater uma infecção, dentre outros casos.febre

Muitas pessoas em todo o mundo sofrem ou já sofreram com a Febre, mas o que muitos não sabem é que ela pode ser fatal, principalmente para crianças pequenas. A Febre, que para muitos pode ser trivial, precisa ser devidamente compreendida para ser tratada da melhor maneira possível, e por isso criamos este texto, para que possamos nos informar e ajudar na prevenção e tratamento da Febre.

O que é a Febre:

A Febre não é uma doença, e sim um sintoma. Resposta certeira do organismo para o tratamento de inflamações e infecções, o aumento da temperatura do corpo sinaliza uma atividade mais intensa do sistema imunológico, prejudicando a ação de vírus e bactérias que eventualmente estejam nos atacando. O essencial é não perder o sintoma e procurar um médico, pois nosso corpo não faz uma Febre sem causa específica.

A partir de 38 graus os médicos já identificam um quadro febril. Não é recomendado medir a Febre sem ajuda de um termômetro (usando o contato da pele), a não ser que a pessoa já tenha experiência – mas mesmo assim, é quase impossível determinar a gravidade exata da Febre dessa forma?, afirma Antonio.

Existem termômetros que podem ser usados na axila ou na própria boca, e existem os termômetros retais, que sempre mostram um grau a mais do que a temperatura corporal real.

Em que Época a Doença é mais Comum?

No Brasil, a Febre amarela geralmente ocorre nos meses de dezembro a maio, quando o calor e as chuvas levam ao aumento da população de mosquitos. No entanto, para que o problema seja disseminado, e exista vírus em circulação, é preciso que haja indivíduos suscetíveis.

Quando há um surto, várias espécies de primatas infectados morrem e os animais que sobrevivem adquirem imunidade. Assim, surtos maiores têm sido registrado em intervalos de seis a dez anos, conforme cresce o número de macacos jovens. Já na Amazônia, por exemplo, como a presença do vírus é mais continuada esse intervalo pode chegar a 14 anos.

Originadores

Por ser causada por um corpo estranho que adentra o organismo, a Febre pode ser originada por diversos itens, como:

  • Vírus;
  • Insolação;
  • Queimaduras solares;
  • Alguns medicamentos e drogas, como antibióticos;
  • Reação adversa a alguma vacina;
  • Desidratação.

Tipos de Febre

A Febre pode ser classificada como de baixa intensidade (37,8 a 38 °C), moderada (38 a 39 °C) ou alta (mais de 39 °C), dependendo de quanto a temperatura corpórea subiu.

A Febre pode ser benéfica, e é parte da resposta do corpo a uma doença; no entanto, se a Febre for acima de 41,7 °C, então pode causar danos significativos aos neurônios, com risco de afetar a meninge e essa fase é chamada de hipertermia maligna. A alta temperatura causa a desnaturação de proteínas e enzimas, o que agrava o estado do paciente.

A temperatura normalmente flutua ao longo do dia, e o mesmo se aplica à Febre. Se esse padrão característico estiver ausente, a temperatura aumentada do corpo pode ser por causa de insolação, uma disfunção mais séria. A insolação é causada pelo excesso de exposição ao sol e desidratação.

Valores normais de temperatura

A ausência de Febre é chamada de apirexia e pode ser:

  • Temperatura axilar: 35,5 a 37,3 °C, com média de 36 a 36,5 °C.
  • Temperatura bucal: 36 a 37,4 °C.
  • Temperatura retal: 36 a 37,8 °C, isto é, 0,5 °C maior que a axilar.

A temperatura retal maior que a axilar em valores acima de 1 °C, pode ser indicativo de processo inflamatório abdominal baixo ou pélvico.o que é a febre

Sintomas da Febre

Quando alguém tem Febre, os sinais e sintomas estão ligados ao que é conhecido como comportamento de doença e podem incluir:

  • Sentir frio quando ninguém mais sente
  • Tremedeira
  • Falta de apetite
  • Desidratação – evitável se o paciente bebe muitos fluidos
  • Depressão
  • Hiperalgesia – mais sensível à dor
  • Letargia
  • Problemas de concentração
  • Sonolência
  • Sudorese
  • Se a febre é alta, também pode haver extrema irritabilidade, confusão, delírio e convulsões.

Causas da Febre

A Febre ocorre quando uma área em seu cérebro chamada hipotálamo percebe uma invasão de microorganismos, reage deslocando a temperatura corporal normal. A temperatura corporal normal varia ao longo do dia – é mais baixa na parte da manhã e mais alta no final da tarde e início da noite.sintomas da febre

A maioria das pessoas considera 37°C uma temperatura normal, mas ela pode variar um pouco a menos, ficando entre 36,6° e 37,8°C. Fatores como ciclo menstrual ou exercícios pesados podem afetar a temperatura corporal. Febre pode ser causada por:

  • Vírus
  • Infecção bacteriana
  • Insolação
  • Queimadura de sol
  • Certas condições inflamatórias, como artrite reumatoide
  • Tumor maligno
  • Alguns medicamentos e drogas, como antibióticos utilizados para tratar a pressão alta ou convulsão
  • Reação adversa a algumas vacinas
  • Desidratação.

Por vezes, a causa de uma Febre não pode ser identificada. Se o paciente é adulto e tem uma temperatura corporal de 38,3°C ou mais durante três semanas e o médico não é capaz de encontrar a causa após extensa avaliação, o diagnóstico pode ser Febre de origem desconhecida.

Tratamento Para Febre

Os medicamentos mais comumente recomendados pelos médicos para diminuir a Febre são à base de nimesulida e paracetamol, mas, segundo eles, antes de ministrar qualquer medicação, é importante observar os outros sintomas que podem aparecer relacionados com a Febre – em alguns casos, o paciente pode estar com uma doença cuja determinada classe de remédios é contraindicada, como no caso da dengue com os remédios à base de ácido acetilsalicílico.

Pensando nisso, separamos algumas medidas que podem ser feitas em casa para controlar um quadro febril até o momento da consulta com o médico, que se faz obrigatória, já que é fundamental entender as causas da Febre e o tratamento clínico mais adequado.

  • Faça compressas frias no tronco e membros
  • Fique em repouso
  • Tome um banho morno
  • Prefira tecidos de algodão
  • Mantenha-se hidratado
  • Coma adequadamente
  • Atenção ao uso de medicamentos

Receitas Para Baixar a Febre

Chá de Freixo

O Chá de freixo além de ajudar a baixar a Febre, tem também propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que aliviam o desconforto associado à Febre.

Ingredientes

  • 50g de casca seca de freixo;
  • 1 litro de água quente.

Modo de Preparo

  • Colocar a casca seca de freixo na água e deixar ferver durante 10 minutos e filtrar.
  • Tomar 3 a 4 xícaras por dia ate a Febre baixar

2. Chá de Quineira

O chá de Quineira ajuda a baixar a Febre e tem também propriedades antibacterianas. A sua ação é potenciada quando usada em conjunto com o salgueiro-branco e a ulmária.

Ingredientes

  • 0,5 g de casca cortada muito fina de quineira;
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo

Colocar a casca de quineira na água e deixar ferver dez minutos. Beber 3 xícaras por dia antes das refeições.causas da febre

3. Chá de Salgueiro-branco

O chá de salgueiro-branco ajuda a baixar a Febre porque esta planta medicinal tem na sua casca salicósido, que tem ação anti-inflamatória, analgésica e febrífuga.

Ingredientes

2 a 3 g de casca de salgueiro-branco;
1 xícara de água.

Modo de Preparo

Colocar a casca de salgueiro-branco na água e deixar ferver durante 10 minutos. Depois filtrar e beber 1 xícara antes de cada refeição.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalves

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *