Rinite Alérgica – O que é, Causas e Prevenção

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Rinite Alérgica – O que é, Causas e Prevenção
4.8 (95%) 4 votes

Rinite Alérgica – O que é, Causas e Prevenção que muitos ainda não conhecem. Além disso, a Rinite Alérgica é muito desconfortável e diversas pessoas sofrem com os seus sintomas.

Ela é uma inflamação da mucosa que reveste o nariz, causada por uma reação alérgica, provocando o surgimento de sintomas como espirros, tosse, coriza e coceira no nariz.

Causas da Rinite Alérgica:

O desenvolvimento da Rinite Alérgica depende de:

  • Factores Genéticos: o risco de atopia na criança duplica se um dos progenitores (pai ou mãe) for atópico, sendo a influência materna maior do que a paterna. Se ambos os progenitores forem atópicos o risco quadruplica;
  • Exposição a Alérgenos: o desenvolvimento de Rinite Alérgica e asma na infância possui como causa primária a exposição a alérgenos ambientais, aumentando o risco em 5-10 vezes no caso da exposição aos ácaros;
  • Exposição a Adjuvantes que Podem Facilitar a Sensibilização Alérgica: apesar de controverso existe evidência convincente de que quer a poluição interior, caso do tabagismo dos pais, quer a poluição aérea no exterior aumentam a prevalência da doença atópica.

Sintomas da Rinite Alérgica:

Alguns sintomas da Rinite Alérgica surgem logo após entrar em contato com o alérgeno. Os principais sintomas da crise são:

  • Irritação no nariz, na boca, nos olhos, na garganta, na pele ou em qualquer outra região;
  • Problemas com odores;
  • Coriza;
  • Espirros;
  • Lacrimejamento nos olhos.

Alguns sintomas da Rinite Alérgica se apresentam ao longo de horas:

  • Congestão nasal;
  • Tosse;
  • Diminuição da audição e diminuição do olfato;
  • Dor de garganta;
  • Olheiras;
  • Olhos inchados;
  • Fadiga e irritabilidade;
  • Cefaleia.

A rinite alérgica pode favorecer o surgimento de outras doenças, como otite e conjuntivite, por causa do acúmulo de secreções nas vias aéreas.

Diagnóstico da Rinite Alérgica:

O diagnóstico é dado pelo médico, depois de observar os sintomas da doença.

Pode ser necessário realizar um exame de sangue para verificar se a quantidade de IgE está alta e um teste de alergia para poder identificar a quais substâncias o indivíduo têm alergia.

Este diagnóstico pode ser feito a partir dos 6 anos de idade, pois antes desta faixa etária os resultados poderão estar incorretos.

Por isso, se há suspeita de que a criança sofra de Rinite Alérgica, o que deve ser feito é tentar identificar a que ela tem alergia e diminuir sua exposição à substância.

Tratamento Para Rinite Alérgica:

A Rinite Alérgica tem tratamento, mas não tem cura. Os doentes com Rinite Alérgica podem viver sem sintomas, quando tratados corretamente.

Os tratamentos para Rinite Alérgica indicados, permitem aliviar os sintomas e desta forma melhorar bastante a qualidade de vida das pessoas que padecem da doença.

Como Prevenir a Rinite Alérgica:

A profilaxia da Rinite Alérgica centra-se na evicção dos alérgenos, particularmente no ambiente doméstico e profissional. Podemos destacar as seguintes medidas de prevenção ou profilácticas:

  • Exclusão de alcatifas, reposteiros, edredões de penas e peles de animais;
  • Aquisição de colchões antialérgicos e de almofadas antialérgicas;
  • Lavagens e limpezas gerais frequentes;
  • Utilização de acaricidas para desinfestação periódica em especial no outono e primavera;
  • Exclusão de produtos agressivos tais como substâncias voláteis (lixívia, tabaco, etc)
  • Exclusão de animais domésticos e plantas naturais em caso de doentes especificamente sensíveis;
  • Utilização regular de desumidificadores para controlar a umidade, que acima dos 50% é favorável ao desenvolvimento de ácaros e fungos;
  • Aspiração doméstica por aspiração central fora do ambiente de utilização;
  • Purificadores de ar por filtragem;
  • Adquirir preferencialmente habitações com boa orientação solar, isotérmicas, secas e em zonas não poluídas;
  • Lavar e substituir os filtros do ar condicionado, quando estes não podem ser evitados.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *