Fibromialgia – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Dr. Valeria Carneiro Graduada em Ginecologia e Obstetrícia!

Especialista do Cura Natural

Fibromialgia – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
5 (100%) 3 votes

Fibromialgia – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos que poucas pessoas conhecem. Além disso,  fibromialgia é um transtorno de longo prazo ou crônico. Está associada a dor generalizada nos músculos e ossos, áreas de ternura e fadiga geral. Sintomas como estes são considerados subjetivos, o que significa que eles não podem ser determinados ou medidos por testes. Como seus sintomas são subjetivos e não há uma causa conhecida, a fibromialgia geralmente é diagnosticada como outra doença.

Embora ainda não seja conhecida uma causa específica da fibromialgia, é possível que a fibromialgia surja devido a uma sensibilidade genética ou traumas físicos ou psicológicos, por exemplo.

Sintomas da Fibromialgia:

O principal sintoma da fibromialgia é uma dor difusa, podendo envolver músculos, ligamentos e tendões. Muitas vezes o doente refere sensação de articulações inchadas, o que na verdade é apenas uma sensação, já que o edema não é comprovado ao exame físico. Não há sinais clínicos de artrite nas articulações doloridas.

Muitas vezes, é muito difícil de descrever a dor da fibromialgia, pois não é nem forte e nem aguda e possui uma duração de cerca de três meses. Para que essa dor possa ser considerada como generalizada, ela precisa ocorrer em ambos os lados do corpo – direito e esquerdo –, bem como acima e abaixo da cintura. Através de diversos estudos sobre as inúmeras dores que caracterizam a síndrome de fibromialgia, 18 locais do corpo foram constatados como os mais sensíveis ao toque e a pressão.

Além desse, que é o principal sintoma da fibromialgia, outros sintomas podem aparecer no paciente com o decorrer do tempo. São eles:

Fadiga: normalmente acontece quando a pessoa já acorda cansada, mesmo depois de uma longa noite de sono – a isso dá-se o nome de “sono não reparador”. Muitos pacientes sofrem com outros distúrbios do sono também, como a síndrome das pernas inquietas e a apneia do sono .

Dificuldades cognitivas: a memória pode ser bastante prejudicada em um paciente que possua a Fibromialgia. Sintomas como perda de memória, falta de concentração, raciocínio prejudicado e problemas com a fala são bastante comuns entre os pacientes.

Demais sintomas: além desses citados, outros sintomas da fibromialgia podem atingir o paciente diagnosticado, como fortes dores de cabeça, períodos menstruais dolorosos, ansiedade e depressão.

Causas da Fibromialgia:

As causas da fibromialgia ainda são desconhecidas, mas existem vários fatores que estão frequentemente associados a esta síndrome. Confira:

Genética: fibromialgia é muito recorrente em pessoas da mesma família, o que pode ser um indicador de que existem algumas mutações genéticas capazes de causar a síndrome
Infecções por vírus e doenças autoimunes também podem estar envolvidas nas causas da fibromialgia.

Distúrbios do sono , sedentarismo, ansiedade e depressão também podem estar ligados de alguma forma à fibromialgia.

Quais São os Fatores de Risco Para a Fibromialgia?

Embora as causas não sejam claras, as crises de fibromialgia podem ser o resultado de estresse, trauma físico ou uma doença sistêmica não relacionada, como a gripe. Acredita-se que o cérebro e o sistema nervoso possam interpretar mal ou reagir exageradamente aos sinais de dor normais. Essa interpretação incorreta pode ser devido a um desequilíbrio em produtos químicos cerebrais.

Outros fatores de risco para fibromialgia incluem:

Gênero: As mulheres representam entre 80 e 90 por cento de todos os casos de fibromialgia. A razão para isso não é conhecida.
História familiar: se você tem um histórico familiar da condição, você pode estar em maior risco de desenvolvê-lo.
Doença: Embora a fibromialgia não seja uma forma de artrite, ter uma doença reumática como lúpus ou artrite reumatoide também pode aumentar seu risco.

Tratamento da Fibromialgia:

O tratamento para fibromialgia é idealmente feito com uma equipe multidisciplinar, com um reumatologista, um fisioterapeuta e um psicólogo ou psiquiatra. Entender o que é a doença, acabando com pensamentos negativos do tipo “vou morrer”, “tenho câncer” ou “isso é uma infecção sem cura”, ajuda muito a combater os sintomas.

A longo prazo, a imensa maioria dos pacientes com fibromialgia melhora dos seus sintomas e consegue manter uma vida ativa e com qualidade. Comentários do tipo ” isso é coisa da sua cabeça” ou “pare de frescura que não há nada de errado consigo” são inverdades que só prejudicam o tratamento.

Entretanto, não existe cura fácil ou rápida para fibromialgia. Fuja de tratamentos que prometem milagres. Doenças crônicas e de difícil tratamento são um prato cheio para charlatões e aproveitadores.

Contraditoriamente, apesar do paciente sentir-se persistentemente cansado, não fazer nada ao longo do dia tende a piorar os sintomas. Nada é pior para os sintomas da fibromialgia do que o sedentarismo. Exercícios físicos aeróbicos e musculação melhoram a qualidade de vida e diminuem a intensidade das dores e a sensação de cansaço.

O paciente com fibromialgia deve ser encorajado a sair da inércia e vencer a indisposição inicial. Um tipo de atividade que tem se mostrado muito eficiente é o Yoga, que ajuda a melhorar o cansaço, as dores e a qualidade do sono.

Também é importante evitar álcool, cigarros e cafeína.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Valeria Carneiro

Dr. Valeria Carneiro Graduada na Universidade Federal de Minas Gerais em Medicina Especializada em Ginecologia e Obstetrícia, Pós Graduada no Departamento de Ginecologia na UNIFESP/ EPM a 2 anos, Experiencia clinica em patologias do trato genital feminino e foco em cirurgias ginecológicas como também especialista em partos normais e cirúrgicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *