Desnutrição – O que é Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Desnutrição – O que é Causas, Sintomas e Tratamentos que todos devemos saber. Além disso, a Desnutrição é a ingestão ou absorção inadequada de nutrientes necessários para satisfazer as necessidades energéticas e de crescimento do organismo. Geralmente, a doença afeta indivíduos com dificuldades econômicas ou habitantes de países pouco desenvolvidos, como a Africa, provocando, especialmente, Desnutrição infantil.

A Desnutrição pode levar ao surgimento de doenças, como anemia, na falta de ferro, hipotireoidismo, na deficiência de iodo ou xeroftalmia, na redução de vitamina A, por exemplo.

O que é Desnutrição?

Desnutrição é um estado patológico causado pela falta de ingestão ou absorção de nutrientes. Dependendo da gravidade, a Desnutrição pode ser dividida em primeiro, segundo e terceiro grau. Existem casos muito graves, cujas consequências podem chegar a ser irreversíveis, mesmo que a pessoa continue com vida. Entretanto, a doença pode ser leve e traduzir-se, sem qualquer registro de sintomas, numa dieta inadequada.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Desnutrição contribui com mais de um terço das mortes de crianças no mundo, apesar de raramente ser listada como a principal causa. Nos anos 70, cerca de 30% das crianças entre 5 e 9 anos estavam com déficit de altura no Brasil, um forte indicador da doença de longa data na infância.

Causas da Desnutrição:

O leite materno é o único alimento de que uma criança precisa em seus primeiros seis meses de vida. Depois disso, consumir somente leite materno não é mais suficiente. A partir desse período, as dietas devem oferecer a combinação correta de proteínas de alta qualidade, gorduras, carboidratos essenciais, vitaminas e minerais.

Na região do Sahel, no Chifre da África e em algumas regiões do sul da Ásia, alimentos altamente nutritivos como leite, carnes e peixe são escassos. Para uma criança com menos de dois anos de idade, a dieta tem um impacto profundo no desenvolvimento físico e mental.

Crianças desnutridas com menos de cinco anos de idade têm o sistema imunológico gravemente fragilizado e são menos resistentes às Desnutrições comuns da infância. É por isso que um simples resfriado ou uma crise de diarreia podem matar uma criança desnutrida. Dos 8 milhões de crianças que morrem antes dos 5 anos de idade, 1/3 delas perde a vida em decorrência da doença.

Sintomas da Desnutrição:

É compreensível que o sinal mais comum de Desnutrição seja a perda de peso. Esse fator também pode ser acompanhado da falta de força e energia e da incapacidade de realizar tarefas rotineiras. Pessoas desnutridas desenvolvem anemia com frequência e, por isso, sentem falta de ar e de energia.

Em crianças, sinais da doença podem incluir a incapacidade de concentração, o aumento da irritabilidade e o crescimento atrofiado. Em casos de Desnutrição aguda grave, podem ocorrer inchaços do estômago, da face e das pernas, além de mudança na pigmentação da pele.

Fatores de Risco da Desnutrição:

Crianças provenientes de famílias de baixa renda apresentam um risco maior relacionado a deficiências alimentares. Além disso, condições sanitárias precárias contribuem para o aparecimento de infecções, parasitoses e da Desnutrição.

Fatores culturais também influenciam muito o consumo de alimentos. Isso porque algumas culturas ou religiões podem proibir o consumo de determinados alimentos, ou a dieta contém poucas calorias.

Tratamento Para Desnutrição:

O tratamento para Desnutrição é feito com o aumento gradual da quantidade de calorias ingeridas, evitando alterações intestinais, como diarreia. Assim, são feitas entre 6 a 12 refeições por dia com pouca quantidade de alimentos. Com o avanço do tratamento, o número de refeições é diminuído, enquanto as quantidades de comida a cada refeição são aumentadas, conforme a adaptação do paciente.

Porém, quando o indivíduo não consegue ingerir alimentos sólidos podem ser utilizadas dietas ou suplementes líquidos para garantir os nutrientes necessários. Nos casos mais graves, pode ser necessário internamento hospitalar para que o paciente seja alimentado com nutrientes diretamente na veia ou através de sonda gástrica.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *