Chá de Rauwolfia – O Que é, Benefícios e Como Usar

Revisado por

Graduado em Ciências da Nutrição!

Especialista do Cura Natural

Chá de Rauwolfia – O Que é, Benefícios e Como Usar
4.8 (96.67%) 6 vote[s]

Chá de Rauwolfia – O Que é, Benefícios e Como Usar essa receita de forma certa para tratar varias doenças. Alem disso, rauwolfia serpentina é uma planta na qual tem aparência de arbusto pequeno. A rauwolfia teve origem no sul da Ásia.  As raízes desta planta contém reserpina, que é uma substância leitosa utilizada clinicamente por ter efeitos sedativos, a grande maioria deles relatados por populares.

cha de rauwolfia

A rauwolfia tem efeito tranquilizante, calmante cardíaco, antitérmico, sedante e para o tratamento de psicoses.

Seus outros nomes populares eram: serpentwood, snakeroot e Rauvolfia, entre outros nomes. O extrato de raiz é cuidado para que se tenha um gosto amargo.

Praticantes da medicina herbal não aconselhem o uso de rauwolfia serpentina, por causa dos seus efeitos colaterais que foram ditos.

Benefícios do Chá de Rauwolfia:

A rauwolfia serpentina é conhecida na Índia como a erva insanidade. A rauwolfia era utilizada também na Índia para tratar distúrbios mentais, tais como: ansiedade, paranoia e nervosismo.

As raízes da rauwolfia chegaram a ser moídas transformando em pó e desde então fazendo preparo de um chá que ajudava no tratamento da histeria e de transtornos mentais. O chá de rauwolfia foi chamado durante um tempo de chá snakeroot.

Chá de Rauwolfia:

Ingredientes:

  • 2 colheres de sopa de rauwolfia;
  • 1 litro de água;

Modo de Preparar:

  • Coloque 2 colheres de sopa para um litro de água;
  • Deixe cozinhar por cerca de 10 minutos a partir do momento em que se inicia a ebulição, após esse tempo, retire do fogo e deixe repousando, tampada, por 10 minutos;
  • Coe e está pronto para o uso;
  • Recomendação :Tomar de 2 a 3 xícaras ao dia;

Efeitos Colaterais:

A utilização excessiva dessa planta pode trazer algumas complicações à saúde. Por isso é bom que o médico seja consultado para que essas complicações sejam evitadas.

Parte disso se deve a presença do alcaloide reserpina, uma substância carcinogênica. Portadores de arritmia cardíaca, infarto do miocárdio, bronquite, asma e úlcera gástrica não devem usar a planta.

Dependendo do tipo de doença ou alergia que o paciente apresente, a planta também pode causar congestão nasal, letargia, vertigem, problemas gastrintestinais, dispneia, astenia, edema e urticária. Já para o consumo em excesso por longos períodos, o paciente pode ficar estéril, além de ter insônia, parkinsonismo e depressão mental severa.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Rafael Cardoso

Com mais de 5 anos de experiência, Rafael Almeida é Graduado em Ciências da Nutrição pela Universidade Ceuma desde 2012. Atua em Atendimento Clínico-Nutricional, com foco no bem estar e qualidade de vida do paciente, através da reeducação alimentar e acompanhamento nutricional, com planos alimentares personalizados, de acordo com o objetivo e avaliação clínica individual, comprometido com o sucesso do tratamento de seus pacientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *