Macrossomia Fetal – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Macrossomia Fetal – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
4.7 (94.78%) 23 vote[s]

Macrossomia Fetal – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos que muitos desconhecem. Além disso, o termo “Macrossomia Fetal” é usado para descrever um recém-nascido significativamente maior do que a média. Um bebê diagnosticado com Macrossomia Fetal tem um peso ao nascer com mais de 8 libras, 13 onças (4.000 gramas), independentemente da idade gestacional. Cerca de 9% dos bebês nascidos no mundo pesam mais de 8 quilos, 13 onças.

macrossomia fetal sintomasNo entanto, os riscos associados à Macrossomia Fetal aumentam muito quando o peso ao nascer é superior a 9 libras e 15 onças (4.500 gramas). A Macrossomia Fetal pode complicar o parto vaginal e pode colocar o bebê em risco de lesão durante o nascimento. A Macrossomia Fetal também coloca o bebê em risco aumentado de problemas de saúde após o nascimento.

Causas de Macrossomia:

A Macrossomia Fetal pode ser causada por fatores genéticos, bem como por condições maternas, como obesidade ou diabetes. Raramente, um bebê pode ter uma condição médica que acelere o crescimento fetal. Em alguns casos, o que causa um peso de nascimento maior que a média permanece inexplicável.

Sintomas de Macrossomia:

A Macrossomia Fetal é difícil de detectar e diagnosticar durante a gravidez. Possíveis sinais e sintomas incluem:

Grande altura fundamental: Durante as consultas pré-natais, seu médico pode medir sua altura fundamental – a distância desde o topo do útero até o osso púbico. Uma altura fundamental que mede mais do que o esperado pode ser um sinal de Macrossomia Fetal.

Fluido amniótico excessivo (polihidramnios): Muito líquido amniótico – o líquido que envolve e protege um bebê durante a gravidez – pode ser um sinal de que seu bebê é maior do que a média.

A quantidade de líquido amniótico reflete a produção de urina do seu bebê e um bebê maior produz mais urina. Algumas condições que aumentam o tamanho de um bebê também podem aumentar a produção de urina.

Tratamento Para Macrossomia:

Se o seu médico suspeita de Macrossomia Fetal, um parto vaginal não está necessariamente fora de questão. No entanto, você precisará dar à luz em um hospital – no caso de fórceps ou um dispositivo de vácuo são necessários durante a entrega ou uma seção em C torna-se necessário.

A indução de contrações uterinas estimulantes do trabalho antes do parto começa por conta própria – geralmente não é recomendada. Pesquisas sugerem que a indução do trabalho não reduz o risco de complicações relacionadas à Macrossomia Fetal e pode aumentar a necessidade de uma C-seção.

Seu médico pode recomendar uma seção C se:

Você tem diabetes: Se você teve diabetes antes da gravidez ou desenvolve diabetes gestacional e seu médico estima que seu bebê pesa 9 libras, 15 onças (4.500 gramas) ou mais, uma seção em C pode ser a maneira mais segura de entregar seu bebê.

Seu bebê pesa 11 quilos ou mais e você não tem história de diabetes materno: Se você não tem diabetes pré-gestacional ou gestacional e seu médico estima que seu bebê pesa 11 libras (5.000 gramas) ou mais, uma seção em C pode ser recomendada.

Você entregou um bebê cujo ombro ficou preso atrás do seu osso pélvico (distocia do ombro): Se você entregou um bebê com distocia do ombro, você corre o risco de o problema ocorrer de novo. Pode recomendar uma seção em C para evitar os riscos associados à distocia do ombro, como uma clavícula fraturada.

Macrossomia Fetal causasSe o seu médico recomendar uma C-seção eletiva, assegure-se de discutir os riscos e os benefícios.

Após o nascimento de seu bebê, ele provavelmente será examinado por sinais de lesões de nascimento, açúcar anormalmente baixo no sangue (hipoglicemia) e um transtorno sanguíneo que afeta a contagem de glóbulos vermelhos (policitemia).

Ele ou ela pode precisar de cuidados especiais na unidade de terapia intensiva neonatal do hospital.

Tenha em mente que seu bebê pode estar em risco de obesidade infantil e resistência à insulina e deve ser monitorado por essas condições durante futuros exames.

Além disso, se você ainda não foi diagnosticado com diabetes, após o parto o seu médico irá testá-lo para a condição.

Durante futuras gravidezes, você será acompanhado de perto por sinais e sintomas de diabetes gestacional – um tipo de diabetes que se desenvolve durante a gravidez.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *