Doença de Scheuermann – O que é, Causas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

A Doença de Scheuermann representa uma das causa mais comuns de cifose estrutural, mais frequentemente diagnosticada durante a puberdade. A etiologia e a patogênese dessa condição estão provavelmente relacionadas a fatores biomecânicos, mas sua causa permanece desconhecida.

Aumento nos níveis de hormônio do crescimento tem sido documentado, de modo que os pacientes portadores dessa deformidade são mais altos do que a média para sua idade. Fatores genéticos ou ainda necrose avascular do anel apofisário vertebral são condições definidas por outros pesquisadores, mas também sem unanimidade.Doenca de scheuermann

O que é a Doença de Scheuermann

A Doença de Scheuermann é um problema no desenvolvimento da coluna vertebral, produzindo um arqueamento anormal das costas (cifose), responsável por causar uma má-postura muito dolorosa.

Esta é a principal causa de cifose estrutural, habitualmente detectada durante a puberdade. Acomete indivíduos de ambos os sexos e em qualquer idade.

É provável que a etiologia dessa patologia esteja relacionada a fatores biomecânicos; no entanto, sua causa ainda não foi elucidada. Alguns fatores têm sido relacionados com essa doença, como a elevação dos níveis de hormônio do crescimento, de modo que os indivíduos portadores dessa moléstia possuem maior estatura do que a média para a sua idade. Outras possíveis causas levantadas por outros pesquisadores são a necrose avascular do anel hipofisário vertebral e fatores genéticos.

A evolução natural da afecção ainda não foi muito bem descrita. Alguns pesquisadores relataram que os pacientes portadores dessa doença apresentavam com frequência dorsalgia, menor amplitude e força de extensão de tronco quando em comparação com a população normal para a mesma idade e sexo.

Dentre as manifestações clínicas, além da cifose que pode ser torácica ou toracolombar, há presença de dor na quase totalidade dos pacientes. Também pode ser observada retração da musculatura peitoral, isquiotibial e flexora de quadril. Nos casos mais severos, também pode estar presente dificuldade para respirar. É infrequente o aparecimento de alterações neurológicas.

Sintomas da Doença de Scheuermann

A deformidade é a queixa de apresentação mais comum. E cerca de 50% entre os que buscam atenção médica apresentam dores na região, mas porcentagem mais elevada (78%) se a coluna vertebral lombar estiver envolvida. Alguns pacientes apresentam espondilólise lombar mais tarde.

Causas da Doença de Scheuermann

A causa exata da Doença de Scheuermann ainda não é conhecida, mas acredita-se que seja devido a uma anormalidade de crescimento no corpo vertebral em que a placa de crescimento deixa de crescer anteriormente, mas continua a crescer posteriormente. Isto basicamente é devido a uma condição médica chamada osteocondrose.

A Doença de Scheuermann é uma condição médica que geralmente ocorre nos anos de crescimento de um indivíduo. A Doença de Scheuermann é mais comum em homens do que em mulheres.

Tratamento Para Doença de Scheuermann

O tratamento da Doença de Scheuermann baseia-se na gravidade e na progressão da curva, bem como na idade e na condição neurológica do paciente. Não existe um consenso quanto à estratificação das modalidades de tratamento, devido, em grande parte, ao desconhecimento da evolução natural dessa doença. a seguir, serão discutidos alguns aspectos terapêuticos baseados nos critérios apresentados.

Adolescentes com cifose de até 50° sem evidência de progressão da curva devem ser seguidos clinicamente a cada 6 meses, incluindo radiografias controles. Não há necessidade de acompanhamento após a maturidade esquelética nesses casos. Indicações para intervenção na cifose de Scheuermann são: dor, deformidade progressiva e comprometimento estético. O tratamento varia com o grau da deformidade e sua flexibilidade.

Critérios específicos para o uso de colete incluem paciente com curva entre 50 e 80° e pelo menos 40% de correção mediante extensão passiva. Terapia física com exercícios posturais e fortalecimento dos extensores do tronco e isquiotibiais devem ser encorajados. A hiperlordose lombar também merece atenção, sendo tratada com exercícios abdominais.

Curvas com mais de 80° tendem a responder menos favoravelmente ao colete, devendo-se considerar a cirurgia nesses casos. Os coletes podem ser do tipo cervicotoracolombossacral (p.ex., Milwaukee) utilizados quando o ápice da deformidade é proximal a T7, ou toracolombossacral (p.ex., OTLS), quando os ápices são distais a T7. O regime dos coletes inclui um período inicial de uso integral (23 horas/dia), que deve ser mantido por 12 a 18 meses.

Com o desenvolvimento do paciente e a correção da curva após o crescimento vertebral anterior, é iniciado o uso por período parcial (12 horas/dia até a maturidade esquelética). A retirada do colete deve ser gradativa, em geral levando de 8 a 12 meses. Para um colete ser efetivo, o paciente deve ter pelo menos 12 a 18 meses de crescimento remanescente. Por fim, espera-se que 15 a 30% da correção inicial sejam perdidos após algum tempo sem o colete.

A cirurgia está indicada em casos de cifose progressiva a despeito do uso de colete, dor crônica não responsiva a tratamento conservador mesmo em paciente com curvas menores (< 80°), comprometimento neurológico ou alterações estéticas graves.doenca de scheuermann

As técnicas cirúrgicas vêm sofrendo profunda evolução com o emprego de novos implantes e recursos, como é o caso da aplicação de parafusos pediculares. A rigor, a cifose representa um relativo encurtamento da coluna anterior.

Com isso, a correção cirúrgica visa à restauração do comprimento da coluna anterior e/ou ao encurtamento da coluna posterior. Esses objetivos podem ser alcançados por meio de acessos anteriores à coluna vertebral, via toracotomia ou toracoscopia, associados a osteotomias posteriores.

O encurtamento da coluna posterior pode se conseguido com a ressecção das facetas articulares intervertebrais e das margens de lâminas adjacentes na área cifótica, visando ganhar espaço para aplicação de instrumental de compressão. Dentre as principais complicações do tratamento cirúrgico da Doença de Scheuermann estão:

  • infecção;
  • Lesão vascular;
  • Lesão neurológica;
  • Falha e/ou soltura de implantes;
  • Cifose juncional.

Atenção particular deve ser dada a esta última situação, decorrente de correção cirúrgica excessiva da deformidade ou escolha inadequada dos níveis de artrodese.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *