Cárie Dentária – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Dr. Valeria Carneiro Graduada em Ginecologia e Obstetrícia!

Especialista do Cura Natural

Cárie Dentária – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
4.7 (94.55%) 77 votes

Cárie Dentária – O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos importantes para acabar com este mal. Além disso, as cáries são orifícios e lesões estruturais nos dentes, sinais de deterioração. Diversos fatores podem levar uma pessoa a apresentar cáries nos dentes, que é um dos problemas mais comuns do mundo. A cárie dentária, também conhecida popularmente como dente podre, é uma infecção dos dentes causada por bactérias que formam placas duras e difíceis de remover em casa. Nesta placa as bactérias vão aos poucos perfurando o esmalte dos dentes causando dor e desconforto quando chegam nas partes mais profundas dos dentes.

Uma das principais bactérias causadoras da cárie dentária é a Streptococcus mutans, especialmente em crianças, que pode ser facilmente transmitida de uma pessoa para outra através do contato próximo como o beijo na boca ou ao se dividir talheres, por exemplo. Assim, quando se tem uma cárie dentária é recomendado evitar beijar na boca da criança, ainda que seja filho, nem provar a comida dele, para saber se está muito quente, usando o mesmo talher.

Quais as Causas da Carie Dentaria:

As bactérias estão presentes naturalmente na boca. Elas transformam todos os alimentos, especialmente açúcar e amido, em ácidos. As bactérias , os ácidos, os resíduos de comida e a saliva se juntam na boca e formam uma substância pegajosa chamada placa, que adere ao dente.

Cárie dentária é mais proeminente nos molares traseiros, logo acima da linha da gengiva em todos os dentes, e nas bordas das obturações. A placa que não é removida dos dentes se mineraliza formando tártaro. A placa e o tártaro irritam as gengivas, resultando em gengivite e, por fim, periodontite.

A placa começa a se acumular nos dentes dentro de 20 minutos após comer (o período em que a maior parte da atividade bacteriana acontece). Se a placa não for removida de forma cuidadosa e rotineira, as cáries não só aparecem, como se proliferam.

Os ácidos da placa dissolvem a superfície esmaltada e criam orifícios nos dentes (cáries). As Cáries dentárias normalmente não provocam dor, a não ser que cresçam muito e afetem os nervos ou causem uma fratura no dentes. Se não forem tratadas, um abscesso dentário poderá se desenvolver. As cáries não tratadas também destroem as estruturas internas do dente (polpa) e terminam causando sua perda.

Sinais e Sintomas da Carie Dentaria:

O principal sintoma da cárie dentária é a dor de dente, mas em alguns casos pode ainda existir:

  • Dor que piora ao comer ou beber algo doce, frio ou quente;
  • Presença de furinhos em um ou mais dentes;
  • Manchas marrom ou brancas na superfície do dente;
  • Sensibilidade ao tocar num dente;
  • Gengiva inchada e dolorida.

Na fase inicial, muitas vezes a Cárie dentária não apresenta qualquer sintoma e, por isso, quando surgem os primeiros sintomas da Cárie dentária é muito importante ir imediatamente no dentista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, evitando complicações como uma infecção mais grave ou a perda de um dentes.

Tratamento Para Cárie Dentária:

A única forma de tratar uma cárie dentária é numa consulta com o dentista, não existindo um tratamento caseiro capaz de eliminá-la. Por vezes, basta apenas 1 sessão para eliminar a cárie, com uma obturação no dente, mas quando muitos dentes estão afetados, o tratamento pode ser mais prolongado e dispendioso, podendo ser preciso recorrer ao tratamento de canal ou até mesmo à retirada do dente, que depois precisa ser substituído por uma prótese.

Prevenção Para Cárie Dentária:

A higiene oral é a principal forma de prevenção de cáries. Ela consiste em limpeza profissional regular (a cada seis meses, pelo menos), escovar os dentes pelo menos três vezes por dia e utilizar fio dental diariamente. Podem ser feitos raios-X anuais para detectar o possível desenvolvimento de cáries em áreas de alto risco na boca.

É preferível comer alimentos mastigáveis e pegajosos (como frutas secas e doces) como parte de uma refeição e não como um lanche. Se possível, escove os dentes ou enxágue a boca após comer esse tipo de alimento. Diminua a frequência dos lanches, que criam um suprimento contínuo de ácido na boca. Evite tomar bebidas açucaradas e comer balas e doces frequentemente.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Valeria Carneiro

Dr. Valeria Carneiro Graduada na Universidade Federal de Minas Gerais em Medicina Especializada em Ginecologia e Obstetrícia, Pós Graduada no Departamento de Ginecologia na UNIFESP/ EPM a 2 anos, Experiencia clinica em patologias do trato genital feminino e foco em cirurgias ginecológicas como também especialista em partos normais e cirúrgicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *