Amebíase – O que é, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Dermatologia Graduada pela Unicamp

Especialista do Cura Natural

Amebíase O que é, Sintomas e Tratamentos que você deve ficar informado. Além disso, a amebíase é uma doença causada por uma ameba, ou parasita microscópico*, chamado Entamoeba histolytica. Em um estágio no ciclo de vida da ameba, é fechado em uma parede protetora chamada cisto.

AmebíaseA infecção começa quando uma pessoa engole cistos em alimentos contaminados ou água. Amebíase é encontrada em todo o mundo, incluindo o Brasil, mas é mais comum em áreas tropicais onde o saneamento é pobre.

Quando engolido, os cistos resistem à destruição por ácidos do estômago e viajam para o intestino. No intestino, a amebíase (plural) surge de seus cistos e se multiplica, geralmente sem causar nenhum sintoma. Em algumas pessoas, no entanto, por razões desconhecidas, a ameba invade as paredes do intestino grosso, onde causam dor abdominal, diarreia sangrenta ( disenteria ) e às vezes febre. Nesta fase, existe o perigo de que o amebíase invadirá outros órgãos do corpo.

Durante a infecção, a ameba produz cistos que passam para fora dos intestinos nas fezes. Fora do corpo, os cistos podem sobreviver por dias ou semanas. Em áreas com saneamento pobre, beber água contaminada com resíduos humanos pode rapidamente espalhar amebíase e o ciclo começa novamente.

Principais Sintomas de Amebíase:

Normalmente, esta doença dura cerca de 2 semanas, mas pode retornar se o tratamento não for dado.

Emaciação, bem como anemia pode ocorrer em indivíduos com infecção duradoura. Muitas vezes, uma protuberância grande ou ameboma pode formar e bloquear o intestino. Às vezes, os trofozoítos perfuram as paredes dos intestinos e podem entrar na cavidade do abdômen. Isso causa dor abdominal que é grave, bem como uma contaminação abdominal conhecida como peritonite, que precisa de tratamento médico rápido.

Sintomas que são leves:

  • Cólicas abdominais.
  • Diarreia.
  • Passando de 3 a 8 fezes semi-formadas a cada dia.
  • Passagem de fezes suaves junto com muco e ocasionalmente sangue.
  • Gás nos intestinos.
  • Fadiga.
  • Dor retal com movimentos intestinais.
  • Perda de peso sem tentar.

Sintomas graves:

  • Sensibilidade abdominal.
  • Bancos que são sangrentos.
  • Passagem de fezes líquidas com raias de sangue.
  • Passando de 10 a 20 fezes a cada dia.
  • Vômito.
  • Febre.

Nota: Em 90% dos indivíduos com amebíase não há sintomas

Principais Causas Amebíase:

A amebíase é causada por um protozoário e geralmente é espalhada por água contaminada ou por comida servida por mãos contaminadas. Ele também pode se espalhar para órgãos adicionais como o cérebro ou o fígado invadindo o sistema sanguíneo dos intestinos. As transportadoras assintomáticas podem passar nos cistos nas fezes. A água potável contaminada também pode espalhar essa infecção. Esta infecção também pode se espalhar pelo contato oral-anal.

As causas comuns, bem como os fatores de risco para a amebíase, consistem em:

  • Consumir alimentos contaminados.
  • Contato anal ou direto de pessoa para pessoa.
  • Condições pouco higiênicas.
  • Áreas de saneamento pobres.
  • Comer legumes e frutas que foram contaminados.

Muitas vezes, a amebíase invade a parede do cólon provocando disenteria aguda, colite ou diarreia de longo prazo. Esta infecção também se espalha através do sistema sanguíneo para o fígado e muito raramente para o cérebro, pulmões ou outros órgãos.

Essa condição é frequentemente vista quase em qualquer lugar do mundo, mas é mais comum em regiões tropicais com condições de vida lotadas e com saneamento pobre. O México, a África, as regiões da América do Sul e a Índia têm problemas de saúde substanciais ligados a esta doença.

A amebíase é espalhada por água ou alimentos contaminados. Isso é muito comum em áreas onde os resíduos humanos são reciclados como fertilizantes.

Fatores de Risco:

Os fatores de risco para amebíase grave incluem:

No Brasil, a amebíase ocorre entre aqueles indivíduos que vivem em instituições, bem como indivíduos que têm relações sexuais anais.

Prevenção da Amebíase:

Não há vacina para prevenir a amebíase.

Ao viajar para regiões tropicais onde o saneamento que é pobre existe, beba apenas água purificada ou água que é fervida e não comem vegetais que não estão cozidos ou que não estão pelados. Uma boa regra nessas áreas em relação aos alimentos é cozinhar, ferver, descascar ou esquecer.

Amebíase

Procedimentos sexuais seguros devem ser sempre utilizados, por exemplo, usando barragens dentárias e preservativos para contato oral e anal. Isso pode ajudar a prevenir a infecção.

A prevenção e o controle de infecções amebicas, por exemplo, programas para controlar outras doenças transmitidas por água ou alimentos, também podem ser muito eficazes usando uma metodologia de múltiplas camadas que precisa de participação individual e corporativa. A dissuasão operacional poderia ser bem sucedida usando as seguintes medidas:

  • Fornecer água potável que não contenha contaminação fecal.
  • A quimioprofilaxia deve ser administrada como tratamento para aqueles que são portadores de amebíase.
  • Educação de grupos que são de alto risco para práticas sexuais e outras práticas habituais que podem promover a transmissão fecal-oral.
  • Enxaguamento completo de vegetais e frutas usando desinfetantes que são efetivos antes do consumo.

Diagnóstico de Amebíase:

Fazer um diagnóstico pode ser problemático devido ao fato de que outros parasitas podem parecer com E. histolytica quando examinados sob o microscópio. Os indivíduos infectados nem sempre apresentam sintomas.

Se o seu médico acredita que está infectado e deve ser tratado, a medicação está disponível. O exame do abdômen pode mostrar aumento do fígado ou ternura abdominal.

Os testes incluem:

  • Teste de sangue para amebíase.
  • Exame do interior do cólon inferior.
  • Exame de microscópio de 3 espécimes de fezes dois dias de intervalo.

Tratamento de Amebíase:

Normalmente, os fármacos antiparasitários orais são o tratamento padrão para a amebíase. A escolha do medicamento geralmente depende da gravidade da infecção. Normalmente é utilizado metronidazol oral por 10 dias

Se o indivíduo estiver vomitando, pode ser necessário tratar com uma medicação intravenosa até que o indivíduo tolere qualquer coisa por via oral. Os medicamentos antidiarréicos normalmente não são prescritos, uma vez que muitas vezes podem piorar a condição.

Após o tratamento, as fezes devem ser novamente verificadas para garantir que a infecção tenha sido eliminada.

O tratamento inclui:

  • Tratado com medicamentos antimicrobianos.
  • Casos graves, como o abscesso hepático amebólico, podem requerer hospitalização e cirurgia é necessária.

A infecção intestinal assintomática pode ser tratada com:

  • Metronidazol.
  • Iodoquinol.
  • Paromomicina.
  • Furoato de Diloxanida.

Existem casos mais graves de disenteria amébica:

  • Substituição de sangue perdido ou fluido.
  • Com indivíduos que têm tratamento com abscesso hepático podem ser metronidazol e tinidazol
  • Para indivíduos que vomitam, a terapia intravenosa pode ser usada.
  • A medicação antiparasitária oral é um tratamento útil para a amebíase.

Existem duas drogas para a amebíase:

  • Amebicidas luminal.
  • Amebicidas de tecidos.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *