Deficiência de Vitamina D – Causas, Sintomas e Tratamentos

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Deficiência de Vitamina D – Causas, Sintomas e Tratamentos
4.8 (96%) 15 votes

Deficiência de Vitamina D – Causas, Sintomas e Tratamentos que poucos conhecem.
Sim, o verão está aqui! E a maioria de nós corremos para um abrigo! Enquanto estamos ocupados escondendo-nos da luz solar e dos filtros solares, esquecemos o quão essencial é a luz solar para nossas vidas e corpo. A luz solar é a fonte direta da Vitamina D, este é o motivo exato pela qual é chamada de “vitamina do sol”.

O que é vitamina D?

Quanto mais nos acostumamos com tecnologias, confortos e luxos do mundo moderno, mais estamos nos afastando da vida natural. A Vitamina D é um nutriente extremamente essencial para o nosso bem-estar, é um grupo de secosteroide solúveis em gordura que ajudam no melhoramento da absorção intestinal de cálcio e fosfato.

Ao contrário de outras vitaminas, a Vitamina D não pode ser conseguida com alimentos, esta vitamina é preparada pelo nosso próprio corpo quando está exposto à luz solar.

Tipos de vitamina D:

Existem apenas dois tipos de vitamina D:

  1. Vitamina D2: D2 também conhecido como ergocalciferol, é conseguido a partir de alimentos fortificados, alimentos vegetais e suplementos.
  2. Vitamina D3: D3 também conhecido como colecalciferol, vem de alimentos fortificados e alimentos de origem animal (peixe, ovos e fígado). Também é produzido internamente pelos nossos corpos quando a pele é exposta à luz solar.

Como o nosso corpo converte a luz solar na vitamina D?

Os raios ultravioleta B (UVB) na luz solar são responsáveis por converter o colesterol em Vitamina D. Para uma pessoa de pele clara, cerca de 20 a 30 minutos de luz solar no rosto e nos antebraços 2 a 3 vezes na semana é suficiente para preparar a quantidade suficiente de Vitamina D.

Pessoas de pele mais escura e pessoas idosas, no entanto, exigem mais exposição à luz solar para quantidades adequadas de Vitamina D.

Deficiência de Vitamina D:

A Deficiência de Vitamina D tornou-se uma preocupação global por pessoas de todas as faixas etárias que sofrem deste problema. Estima-se que cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo têm níveis inadequados de Vitamina D no sangue.

Indivíduos com pele escura e indivíduos mais velhos, bem como pessoas com sobrepeso e obesidade tendem a ter níveis mais baixos de Vitamina D.

O diagnóstico de Deficiência de Vitamina D é relativamente simples, tudo o que você precisa é fazer um exame de sangue para determinar se é deficiente ou não. Para este fim, é importante conhecer os níveis ótimos e níveis deficientes.

Causa da Deficiência de Vitamina D?

O nível inadequado de Vitamina D no organismo é responsável por causar Deficiência de Vitamina D. Com muita luz do sol disponível, é de fato surpreendente que a Deficiência de Vitamina D seja um problema mundial. Algumas das maiores causas de Deficiência de Vitamina D são as seguintes:

1 – Exposição Limitada à Luz Solar:

Como já afirmamos, a luz solar é a principal fonte de Vitamina D e a exposição tão limitada à luz solar é a maior causa de Deficiência de Vitamina D. As pessoas que vivem em casa ou as que residem nas latitudes do norte geralmente recebem luz solar limitada e, portanto, correm o risco de Deficiência de Vitamina D. Além disso, muitas vezes falamos sobre o uso de protetor solar para prevenir câncer de pele e outros danos causados pela exposição UV, mas poucos de nós estamos cientes dos perigos de não receber bastante Vitamina D do sol.

A quantidade total de Vitamina D produzida pelo corpo também depende da estação, hora do dia, quantidade de ozônio, latitude e número de nuvens no céu. A radiação UVB do sol, também chamada de “raios de bronzeamento”, desencadeia a produção de Vitamina D.

Assim, durante o outono e o inverno, as pessoas que vivem em maior latitude não conseguem a quantidade adequada de Vitamina D. Por isso, é aconselhável ter uma exposição regular, mas curta ao sol em vez de exposições prolongadas. Uma exposição de 10 a 15 minutos à luz do sol algumas vezes por semana é suficiente para que muitas pessoas preparem níveis adequados de Vitamina D.

2 – Consumo Inadequado de Vitamina D:

As pessoas que seguem uma dieta vegetariana rigorosa são mais propensas a consumir níveis inadequados de Vitamina D.

Isso ocorre porque a maioria das fontes naturais desta vitamina é baseada em animais, como peixes e óleos de peixe, gemas de ovos, queijo, leite, produtos lácteos e bife de fígado.

3 – Pele Mais Escura:

Alguns estudos mostraram que as pessoas com pele mais escura possuem maior risco de Deficiência de Vitamina D. Como todos sabemos, o pigmento melanina é responsável por transmitir a cor da pele.

4 – Obesidade:

Um estudo realizado com pessoas com sobrepeso e obesidade indicou que aqueles com IMC (índice de massa corporal) superiores a 40 apresentaram menores níveis de Vitamina D que aquelas pessoas com IMC inferior a 40.

Isso ocorre porque a Vitamina D é extraída do sangue por células de gordura que alteram sua liberação para a circulação.

5 – Idade:

Demonstrou-se que com a progressão da idade, nosso corpo tem uma diminuição da capacidade de sintetizar a Vitamina D da exposição ao sol. Desta forma, as pessoas mais velhas são mais propensas a sofrerem com a Deficiência de Vitamina D.

6 – Mal Absorção:

Certas pessoas sofrem de síndrome de má absorção, isso simplesmente significa que seu aparelho digestivo não pode absorver a Vitamina D adequadamente.

Problemas médicos como a doença de Crohn, fibrose cística e doença celíaca, bem como procedimentos como cirurgia bariátrica, afetam negativamente a capacidade do intestino de absorver a Vitamina D dos alimentos consumidos.

7 – Condições Médicas e Medicamentos:

As pessoas que sofrem de doenças renais crônicas, hiperparatireoidismo primário, distúrbios crônicos de formação de glaucoma e linfomas geralmente sofrem com a perda de Vitamina D. De forma similar, uma grande variedade de medicamentos, como medicamentos antifúngicos, anticonvulsivantes, glicocorticoides e medicamentos para o tratamento de AIDS / HIV pode estimular a degradação da Vitamina D, levando a níveis mais baixos de Vitamina D no organismo.

8 – Gravidez e Amamentação:

As mães que estão grávidas ou que amamentam requerem mais Vitamina D do que outras. Além disso, há uma maior probabilidade de Deficiência de Vitamina D em mulheres que tiveram vários bebês com lacunas curtas entre gestações. Isso ocorre porque a reserva de Vitamina D do corpo é utilizada durante a gravidez e requer tempo para ser construído antes de outra gravidez.

Sintomas de Deficiência de Vitamina D:

A dor nos ossos e os pontos fracos musculares são os sintomas mais comuns de Deficiência de Vitamina D, no entanto, algumas pessoas não experimentam sintomas. Alguns outros sintomas associados a Deficiência de Vitamina D incluem o seguinte.

Sintomas em Crianças:

  • Crianças com Deficiência de Vitamina D correm o risco de causar espasmos musculares, convulsões e outras dificuldades respiratórias. Isto é em grande parte devido aos menores níveis de cálcio.
  • Crianças com uma Deficiência de Vitamina D podem ter ossos suaves do crânio ou perna. Isso pode fazer as pernas parecer curvas. Eles também experimentam dor óssea, dor muscular ou fraqueza muscular.
  • O crescimento da altura em crianças é afetado negativamente pela Deficiência de Vitamina D. Crianças que sofrem com a Deficiência de Vitamina D são relutantes em começar a caminhar também.
  • Irritabilidade sem motivo é outro sintoma de Deficiência de Vitamina D em crianças e bebês.
    As crianças com Deficiência de Vitamina D adotam sua dor. A Deficiência de Vitamina D afeta negativamente o desenvolvimento de dentes de leite, o que, por sua vez, atrasa a dentição.
  • A fraqueza do músculo cardíaco é uma indicação de níveis extremamente baixos de Vitamina D (casos raros).

Sintomas em Adultos:

  • Os adultos com Deficiência de Vitamina D sentem muito cansaço, dores e dores vagos, juntos, todos causando um sentimento geral de estar mal.
  • Alguns adultos também experimentam comprometimento cognitivo devido à Deficiência de Vitamina D.
  • Os ossos também sentem uma pressão dolorosa a moderada. Isso é mais notável nas costelas ou nos ossos da canela. Eles também sentem dor na parte inferior das costas, quadris, pelve, coxas e pés.

Doenças Causadas por Deficiência de Vitamina D:

Embora a Vitamina D não seja uma vitamina dietética essencial, uma certa quantidade é vital para uma boa saúde do corpo, particularmente ossos e músculos saudáveis. A Deficiência de Vitamina D pode causar os seguintes problemas de saúde.

Diabetes:

O baixo nível de Vitamina D está associado a maior risco de desenvolvimento da diabetes tipo 2.

Tuberculose:

Nos tempos antigos, quando os antibióticos não estavam disponíveis, as luzes solares faziam parte do tratamento padrão para a tuberculose. Vários estudos também provaram que as pessoas diagnosticadas com tuberculose apresentaram níveis mais baixos de Vitamina D do que outros.

Raquitismo:

Conforme mencionado anteriormente, a Vitamina D facilita a absorção de cálcio. A Deficiência de Vitamina D pode provocar raquitismo, uma doença infantil caracterizada por baixos níveis de cálcio no sangue.

Impede o crescimento, ossos moles e fracos, a deformidade dos ossos longos que se dobram e se curvam sob seu peso quando as crianças começam a andar.

Gripe:

Um estudo indicou que a Deficiência de Vitamina D aumenta o risco de doenças respiratórias e o consumo adequada desta vitamina reduz o risco de infecções respiratórias em crianças.

Os adultos com baixos níveis de Vitamina D apresentam risco aumentado de tosse, infecção do trato respiratório.

Osteomalácia:

A Deficiência de Vitamina D é conhecida como osteomalácia. Isso geralmente é caracterizado por amolecimento dos ossos, levando a flexão das espinhas, curvatura das pernas, fragilidade óssea, fraqueza muscular e aumento do risco de fraturas.

As pessoas que sofrem deste problema muitas vezes têm dificuldade em subir escadas ou

Doença Cardiovascular:

A Deficiência de Vitamina D também está associada à insuficiência cardíaca congestiva.

Esquizofrenia e Depressão:

A Vitamina D está envolvida em vários processos cerebrais. Por isso, a Deficiência de Vitamina D está associada à depressão.

Em um estudo recente, observou-se que a suplementação de Vitamina D entre mulheres grávidas e crianças ajudou a satisfazer o receptor de Vitamina D no cérebro. Isso é fundamental para o desenvolvimento do cérebro e manutenção mental na vida adulta.

Câncer:

Uma pesquisa indicou que existe uma conexão direta entre o alto consumo de Vitamina D e menor risco de câncer de mama.

Deficiência de Vitamina D está associado ao aumento do risco de alguns tipos de câncer e pior resultado em outros tipos de câncer.

Doença Periodontal:

Baixos níveis de Vitamina D podem causar esta doença crônica das gengivas, caracterizada pelo inchaço e sangramento das gengivas.

Isso ocorre porque os níveis adequados de Vitamina D produz Defensina e Cathelicidina, os compostos que contêm propriedades microbianas e diminuem o número de bactérias na boca.

Psoríase:

A Deficiência de Vitamina D também está associada a um maior risco de psoríase.

Tratamento de Deficiência de Vitamina D:

A Deficiência de Vitamina D é um problema, pois pode levar a vários problemas de saúde já discutidos acima. A melhor maneira de evitar a Deficiência de Vitamina D é conseguindo a luz solar suficiente.

A Vitamina D também pode ser tomada sob forma de suplementos, algumas das maneiras de curar essa deficiência são as seguintes:

1# Tenha Luz Solar Adequada:

A exposição à luz solar é uma maneira natural e econômica de tratar a Deficiência de Vitamina D. A Vitamina D é produzida naturalmente pelos nossos corpos mediante a exposição à luz solar.

2# Consumir Alimentos com Vitamina D:

Ao contrário de outras vitaminas, a Vitamina D não é encontrada abundantemente em alimentos. No entanto, certos alimentos contêm Vitamina D em pequenas quantidades, são eles, Peixe oleoso, como sardinha, cavala, atum, salmão e arenque.

Alimentos fortificados com Vitamina D, são margarina, alguns cereais e leite para lactentes.

3# Injeção:

Uma pequena injeção de Vitamina D dura 6 meses e é uma alternativa segura e conveniente. Isto é particularmente bom para aquelas pessoas que não desejam tomar medicamentos por via oral.

4# Comprimidos ou Líquidos:

Certos comprimidos e líquidos contendo altas doses de Vitamina D também estão disponíveis e podem ser tomados diariamente, semanalmente ou mensalmente.

A principal vantagem é que eles podem curar a Deficiência de Vitamina D rapidamente, particularmente em crianças em crescimento.

5# Terapia de Manutenção:

Mesmo depois que as reservas de Vitamina D do corpo foram reabastecidas, o tratamento de manutenção é muitas vezes necessário a longo prazo para evitar futuras deficiências no futuro.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *