Gastrite – O que é, Sintomas, Tratamento e Prevenção

Revisado por

Nutrição - CRN6-MA 16199

Gastrite – O que é, Sintomas, Tratamento e Prevenção
4.7 (94.29%) 7 vote[s]

Gastrite é a condição que vem cada vez mais atingindo a população. Além disso, a Gastrite é uma doença que causa inflamação, infecção ou até erosão no revestimento estomacal, também conhecido como mucosa.

A mucosa do estômago é responsável por produzir ácidos e enzimas que atuam na digestão dos alimentos, quando o revestimento do estômago está inflamado, essa produção de enzimas e ácidos é reduzida, causando desconforto ao paciente.

Causas da Gastrite:

  • Infecção por bactérias – O fumo e o estress deixam mais vulnerável à Gastrite;
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas;
  • Consumo frequente de analgésicos;
  • Estresse;
  • Comidas apimentadas;
  • Doenças autoimunes e drogas;
  • Idade Avançada.

A Gastrite pode estar associada com outras condições médicas como HIV/AIDS, doença Crohn e infecções parasitárias.

Sintomas da Gastrite:

Alguns pacientes não apresentam sintomas da Gastrite. Outros, relatam as seguintes queixas:

Além disso, quando há sangramento da parede do estômago, o paciente pode expelir fezes escuras ou perceber a presença de sangue no vômito.

Quais são os Tipos de Gastrite:

A classificação dos tipos de Gastrite é baseada na duração dos sintomas, em sua causa e em qual região do estômago se concentra a inflamação ou infecção. Os principais tipos de Gastrite são:

1. Gastrite Nervosa:

Como o próprio nome diz, a Gastrite nervosa aparece em situações de medo, estresse e ansiedade. Seus sintomas são azia, arrotos frequentes, vômito e sensação de estômago cheio.

Os médicos geralmente prescrevem medicamentos como antiácidos e calmantes, pedindo também alterações na dieta e prática de atividades físicas, pois ajudam a diminuir o estresse e o nervosismo.

2. Gastrite Aguda:

É geralmente causada pela bactéria Helicobacter pylori (H Pylori), que está presente no estômago de 80% da população e os principais sintomas desse tipo de Gastrite são náuseas, vômitos e dores, que normalmente se iniciam repentinamente.

Como tratamento, os médicos geralmente prescrevem antibióticos, antiácidos e alterações na dieta alimentar e atividade física. Se não tratada, a Gastrite aguda pode se tornar crônica.

3. Gastrite Crônica:

É caracterizada por sintomas prolongados, com um aumento gradativo da inflamação do estômago; se não tratada, pode danificar muito as paredes do estômago. Para tratar a Gastrite crônica, os médicos geralmente prescrevem antiácidos e protetores gástricos, antibióticos são indicados pelos especialistas nos casos em que a Gastrite for causada pela bactéria Helicobacter pylori.

Uma dieta adequada e a ingestão de suplementos de vitamina B12 também fazem parte do tratamento, pois esse tipo de Gastrite pode causar anemia pela falta da vitamina.

5. Gastrite Eosinofílica:

É caracterizada pelo aumento de células imunes no estômago, causando inflamação e sintomas como náuseas, vômito e azia e afeta principalmente pessoas que têm algum tipo de alergia. Para esse tipo de Gastrite, os médicos geralmente prescrevem medicamentos corticoides.

6. Gastrite Enantematosa:

Surge quando há uma inflamação na camada mais profunda da parede do estômago, podendo surgir devido a infecções por bactérias, doenças autoimunes, uso frequente de aspirinas ou de anti-inflamatórios e alcoolismo.

Seus sintomas são a indigestão, gases e vômitos. Para o tratamento, os médicos costumam indicar antiácidos e uma dieta pobre em cafeína, doces e gorduras.

Diagnóstico de Gastrite:

O médico avaliará seu histórico familiar e seus sintomas, mas isso não basta para o diagnóstico. Há alguns exames que ele poderá solicitar que ajudam na hora de determinar qual a causa dos sintomas do paciente, veja:

  • Exames para detectar a presença da bactéria Helicobacter pylori no estômago é uma das opções mais comuns para o diagnóstico. Ele pode ser feito por exame de sangue ou por meio de um exame conhecido como “exame do hálito”, em que o paciente ingere uma solução líquida, sem gosto, que contém doses de carbono radioativo. Depois, o paciente assopra dentro de um saco. Se o hálito do paciente contiver amostras desse carbono, então o paciente estará diagnosticado com Gastrite.
  • Endoscopia também é uma opção, em que o especialista analisa o estômago por meio de um endoscópio, em busca de sinais de inflamação. Em seguida, ele coletará pequenas amostras e as enviará para testes em laboratório, que determinarão se há presença da bactéria ou não.
    O especialista também poderá optar por fazer um raio-X do trato digestório do paciente em busca de anormalidades.

Tratamento Para Gastrite:

O tratamento da Gastrite pode ser feito com uma combinação de remédios para proteger o estômago, eliminar a bactéria e adequando a alimentação. O gastroenterologista poderá indicar a toma de antibióticos que eliminam a H. Pylori, durante 7 dias.

Após esse período, se os sintomas ainda estiverem presentes, o médico poderá solicitar uma nova endoscopia para verificar se a bactéria foi realmente eliminada.

No entanto, a alimentação é uma das partes mais importantes do tratamento para Gastrite e deve ser orientada por um nutricionista.

Como Prevenir a Gastrite:

Uma recomendação importante para a prevenção da Gastrite é evitar o uso de substâncias que causam irritação no estômago, como bebidas alcoólicas em excesso, cigarros, drogas e medicamentos sem indicação do médico.

Já a bactéria H. Pylori é transmitida por meio de água e comida contaminados ou de pessoa para pessoa. Por isso, a prevenção da Gastrite deve incluir hábitos básicos de higiene, como lavar as mãos frequentemente, consumir apenas alimentos de boa procedência e devidamente higienizados e evitar levar as mãos à boca.

Revisão Geral pela Dra. Ana Karolynne Gonçalves - (no G+)

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

INFORMAÇÃO DO AUTOR: Ana Karolynne Goncalve

Sou graduada no curso de Nutrição pela Universidade Federal do Maranhão(UFMA), CRN6-MA 16199, com Mestrado na área da Nutrição Clínica com relação ao metabolismo, prática e terapia nutricional, realizado também na Universidade Federal do Maranhão(UFMA), Atualmente trabalho no campo de pesquisa sobre a Qualidade e Inovação em Alimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *