Feocromocitoma – O que é, Causas e Tratamentos

Feocromocitoma – O que é, Causas e Tratamentos!

1 Estrela2 Estrela3 Estrela4 Estrela5 Estrela (Avalie este Post)
Loading...

Feocromocitoma – O que é, Causas e Tratamentos que não devem ser ignorados. Além disso, o Feocromocitoma é um tumor benigno que se desenvolve nas glândulas adrenais, localizadas sobre os rins. Embora este tipo de tumor não coloque a vida em risco, pode produzir vários problemas de saúde, especialmente porque as glândulas adrenais produzem hormônios que regulam o funcionamento de quase todos os órgãos do corpo.

Dessa forma, como os hormônios não são produzidos de forma correta devido à presença do tumor é comum o surgimento de pressão alta que não diminui e outros problemas cardiovasculares. Por isso, mesmo não sendo um câncer maligno, na maior parte dos casos, o Feocromocitoma deve ser removido através de cirurgia para evitar lesões em outros órgãos ao longo do tempo. Então, confira sobre Feocromocitoma – O que é, Causas e Tratamentos:

Causas do Feocromocitoma:

Ainda não se sabe o que provoca o aparecimento da doença, mas acredita-se que pode ser um problema hereditário. O que se sabe é que há desordens genéticas, como neurofibromatose e síndrome de von Hippel-Lindau.

A doença está ligada ao câncer endócrino múltiplo do tipo 2, uma neoplasia que afeta as glândulas adrenais e extra-adrenais, além de ser uma doença genética. Os tumores são causados por hiperplasia de células cromafins da medula suprarrenal ou por tecido cromafim extra-adrenal que causou falha na migração de células cromafins durante o desenvolvimento do embrião.

Sintomas do Feocromocitoma?

As manifestações clínicas do Feocromocitoma costumam aparecer rapidamente e desaparecer vagarosamente. Algumas pessoas com esta doença podem não apresentar sintomas, enquanto outras podem apresentar sintomas graves: palpitações, taquicardia, crises hipertensivas, fortes dores de cabeça, ansiedade, tremores, intolerância à glicose, etc.

O Feocromocitoma costuma estar associado a outras neoplasias endócrinas e apresentarem defeitos esqueléticos característicos, ganglioneuromatoses e neuromas das mucosas. Normalmente ocorre também perda de peso, aumento do tônus das artérias coronárias, sintomas de insuficiência cardíaca e infarto agudo do miocárdio.

A sintomatologia do Feocromocitoma na infância costuma ser distinta daquela dos adultos e nelas as manifestações mais comuns são: sudorese, alterações da visão, pressão alta constante e não na forma de crises, como nos adultos.

Diagnóstico do Feocromocitoma:

Os médicos podem não suspeitar de um Feocromocitoma, porque quase metade das pessoas não apresentam sintomas, exceto a hipertensão persistente. Entretanto, quando a hipertensão ocorre em uma pessoa jovem, aparece e desaparece ou acompanha outros sintomas de Feocromocitoma, os médicos podem precisar de alguns exames laboratoriais.

Por exemplo, o nível de algumas catecolaminas ou de produtos gerados quando essas catecolaminas são decompostas pode ser medido em amostras de sangue ou de urina.

Devido à hipertensão e outros sintomas, os médicos podem prescrever um betabloqueador antes de saber que a causa é um Feocromocitoma. Betabloqueadores podem fazer a hipertensão piorar em pessoas com Feocromocitoma. Essa reação paradoxal frequentemente torna claro o diagnóstico de Feocromocitoma. Se o nível de catecolaminas estiver alto, a tomografia computadorizada (TC) ou a imagem por ressonância magnética (RM) podem ajudar a localizar o Feocromocitoma.

Um exame com o uso de produtos químicos radioativos injetáveis que tendem a se acumular nos Feocromocitomas também é útil. Um exame é feito para ver onde os produtos químicos radioativos estão. Exames genéticos podem ser realizados, particularmente se os médicos suspeitarem de doença genética.

Tratamento do Feocromocitoma:

Normalmente, o melhor tratamento é remover o Feocromocitoma. As cirurgias são frequentemente adiadas, entretanto, até que os médicos possam controlar a secreção de catecolaminas pelo tumor com medicamentos, uma vez que ter altos níveis de catecolaminas pode ser perigoso durante a cirurgia. Normalmente, é administrada fenoxibenzamina para interromper a ação do hormônio. Uma vez que essa etapa é cumprida, um betabloqueador pode ser utilizado com segurança para controlar os sintomas.

VOCÊ PRECISA VER ISSO:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Meningioma – O que é, Sintomas e Tratamentos

Hipocalemia – O que é, Causas e Tratamentos